COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68Pg�

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque exclusivo
Página Inicial » Economia » Setor de serviços registra retrocesso de 1,1% no Estado, aponta o IBGE

Setor de serviços registra retrocesso de 1,1% no Estado, aponta o IBGE

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Retração registrada em novembro em Minas Gerais foi puxada pelo setor de transporte de cargas, de acordo com o IBGE - Crédito: Divulgação

O setor de serviços em Minas Gerais apresentou um recuo de 1,1% em novembro na comparação com outubro, na série com ajuste sazonal. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Enquanto isso, no Brasil, o decréscimo foi de 0,1%.

De acordo com o técnico da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), Rodrigo Lobo, a pressão negativa em Minas, no mês de novembro em relação a outubro, veio, em grande medida, pelo menor dinamismo do transporte rodoviário de carga.

“Em geral, se associa essa menor receita a um menor movimento da produção industrial, pois o escoamento se dá, em grande medida, no modal rodoviário”, diz ele. Ainda no setor de transporte, a parte de logística relacionada ao transporte de carga também apresentou redução, conforme ressalta o técnico do da PMS.

Além disso, de acordo com Rodrigo Lobo, a área de desenvolvimento e licenciamento de software, dentro dos serviços de informação e comunicação, e a de atividade de apoio à produção florestal, que se encaixa em “outros serviços”, também apresentaram recuos.

Mais dados – Quando a comparação é feita entre novembro de 2019 com o mesmo período de 2018, Minas Gerais teve um avanço de 0,5%, mas ainda aquém do número apresentado pelo Brasil, de 1,8%.

“Enquanto os serviços de comunicação e informação estão avançando no Brasil, em Minas Gerais eles estão caindo. Na comparação entre novembro de 2019 com igual período de 2018, a redução foi de 1,8%”, frisa Rodrigo Lobo.

O técnico da PMS destaca ainda outros fatores que influenciaram o avanço menor do setor de serviços nesse período em Minas Gerais na comparação com o Brasil: o recuo em transportes, de 0,6%, e em outros serviços, de 1,2%, totalizando três variações negativas em um total de cinco atividades investigadas.

Já as duas atividades que apresentaram crescimento na comparação entre novembro de 2019 e novembro de 2018 foram os serviços profissionais, administrativos e complementares (4,6%) e serviços prestados às famílias (2,4%).

Acumulados – No acumulado de janeiro a novembro do ano passado em relação ao mesmo período de 2018, Minas Gerais apresentou avanço de 0,4%. A maior expansão veio de outros serviços (17,9%), seguido por serviços profissionais, administrativos e complementares (4,8%), serviços de informação e comunicação (1,4%) e serviços prestados às famílias (0,2%). Já o recuo ficou por conta dos transportes, serviços auxiliares ao transporte e correio (-5,2%).

Por fim, no acumulado dos últimos 12 meses, em relação ao mesmo período do ano anterior, Minas Gerais teve uma variação positiva de 0,4%, com maior avanço também em outros serviços (18%), seguido por serviços profissionais, administrativos e complementares (4,2%) e serviços de informação e comunicação (1,3%). Apresentaram redução os transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-4,5%) e serviços prestados às famílias (-0,4%).

Desempenho no Brasil é o pior em 3 anos

Rio e São Paulo – O setor de serviços do Brasil interrompeu dois meses de ganhos e registrou o pior resultado para novembro em três anos, pressionado principalmente pelos transportes, mas ainda caminha para terminar o ano no azul.

O volume de serviços recuou 0,1% em novembro sobre o mês anterior, mostraram dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados ontem.

Essa foi a leitura mais fraca para o mês desde 2016, quando novembro apresentou perda de 0,3%, e a primeira queda no ano desde agosto.

Em relação ao mesmo mês de 2018, houve alta de 1,8%, terceira taxa positiva. As expectativas em pesquisa da Reuters eram de queda de 0,2% na base mensal e alta de 1,8% na anual.

Apesar das perdas em novembro, o setor de serviços caminha para fechar 2019 no azul, após estabilidade em 2018 e três anos de queda, mostrando recuperação em meio a uma inflação fraca no país e retomada da atividade econômica – nos 11 primeiros meses de 2019, os ganhos acumulados são de 0,9% no volume.

“O setor de serviços vai fechar no positivo em 2019, e isso não acontecia desde 2014. 2019 foi um ano melhor para os serviços, mas ainda há uma longa perda para recuperar daqui para frente e isso tem a ver com ambiente econômico”, destacou o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo.

Entre as cinco atividades pesquisadas, três tiveram resultados negativos em novembro, com destaque para o recuo de 0,7% do setor de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio.

Esse setor foi pressionado pelos segmentos de transporte terrestre (-1,6%), de armazenagem e serviços auxiliares aos transportes (-1,1%) e de transporte aéreo (-3,3%).

Os outros dois em campo negativo foram os serviços prestados às famílias (-1,5%) e os serviços de informação e comunicação (-0,4%).

Na outra ponta, outros serviços tiveram o maior ganho no mês, de 1,7%, enquanto o volume de serviços profissionais, administrativos e complementares subiu 0,1%.

“Os serviços não estão mudando trajetória de ascensão, o que houve foi apenas uma acomodação, um ajuste de um setor que vem com ganhos no segundo semestre e numa trajetória positiva”, completou Lobo, explicando que no segundo semestre o ganho acumulado no setor é de 2,9%, o que compensa a queda de 1,8% do primeiro semestre. (Reuters)

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente