O “café para comer” é associado a biscoito ou chocolate, mas o BitCoffee é 100% café - Crédito: Divulgação

A startup Cafene Innova vai lançar, em breve, uma linha inédita de café comestível. Feito a partir do grão 100% arábica produzido na cidade de Santo Antônio do Amparo, no Centro-Oeste de Minas Gerais, o produto vai chegar ao mercado sob a marca BitCoffee nos sabores espresso, cappuccino e café com leite, e promete revolucionar o famoso “cafezinho” nacional e internacionalmente.

Segundo o gerente de Novos Negócios da Cafene Innova, Alexandre Pregnaca, o produto é obtido a partir do processamento do grão 100% arábica premium, resultando em uma massa de café integral na qual estão preservadas as características de aroma e sabor, além da oferta nutricional.

“Normalmente, o ‘café para comer’ é associado a biscoito ou chocolate, mas o BitCoffee é 100% café. Para se ter uma ideia, conseguimos gerar uma massa que preserva 85% de todas as ofertas nutricionais do grão, diferentemente da bebida líquida, que retém até 90% em sua borra”, destacou.

O produto será lançado oficialmente na Alimentaria, feira bienal que acontecerá em Barcelona, em abril, e começará a ser vendido no mercado nacional imediatamente, primeiro em São Paulo, depois nas demais capitais. As outras cidades brasileiras terão a opção da compra pelo e-commerce. Além disso, a Cafene Innova já tem embarques negociados para Portugal e pretende fechar novos contratos na Espanha, durante a feira.

“Iniciaremos no food service, abastecendo hotéis, restaurantes e cafeterias e depois partiremos para o varejo. Já no mercado internacional, ingressaremos com pelo menos 30% do total produzido”, adiantou.

Para isso, a fábrica, localizada no Espírito Santo, vai processar 32 toneladas da massa de café por mês, o limite da capacidade operacional da unidade – que já conta com espaço para ser duplicada. A empresa também já planeja uma segunda planta no interior de São Paulo dentro de dois ou três anos.

“Ao todo, são utilizadas 4,5 toneladas de café 100% arábica de Minas Gerais mensalmente. Esse volume representa 13% dos insumos utilizados para a confecção do BitCoffee, entre outros cafés e demais ingredientes de acordo com os sabores”, explicou o gerente.

O produto chega ao mercado nas versões de 5 gramas individual e caixa de 30 gramas, com 10 cafés. E um creme de café deverá ser lançado logo em seguida. “Estamos no momento que os especialistas chamam da quarta onda do café, com o surgimento de novos hábitos de consumo do grão. Nossa intenção é ajudar na quebra deste paradigma, já que há quase 500 anos o café só é consumido na forma solúvel. Agora também é para comer”, ressaltou.

A Cafene Innova é uma extensão de negócio da Brascase Brasil, companhia que atua no mercado brasileiro e internacional desde 1987, especializada em importação e exportação e atua desde o final de 2018. A startup adquiriu a tecnologia para o café comestível e detém a patente do produto para os próximos 10 anos.