Uberlândia tem saldo positivo em 2019
Crédito: Divulgação

Uberlândia, no Triângulo Mineiro, encerrou 2019 com superávit de 4.067 postos de trabalho formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Trata-se do melhor saldo anual dos últimos cinco anos e fez com que o município configurasse entre as cinco cidades do interior do País que mais geraram empregos no último exercício.

Ao todo foram 104.115 admissões contra 100.048 demissões no ano passado, fazendo ainda com que Uberlândia também aparecesse em décimo lugar no ranking nacional, considerando cidades do interior e regiões metropolitanas brasileiras. Com o resultado de 2019, a cidade está à frente de outros municípios mineiros como Ipatinga (2.368), no Vale do Aço, e Betim (2.271), na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

De acordo com o prefeito Odelmo Leão, os números demonstram a retomada da confiança do mercado e do ambiente de negócios na cidade, meta que vem sendo trabalhada pela administração pública desde 2017, por meio de obras de infraestrutura, melhorias na saúde, otimização dos serviços, oferta de capacitação gratuita e formação educacional de qualidade à população local, entre outras medidas.

“Ter mais de 7 mil empregos criados em três anos mostra que Uberlândia retomou sua credibilidade junto aos empreendedores. Isso acontece graças a uma gestão séria e responsável, na qual o poder público atua como um facilitador. Além da recuperação e melhorias nas áreas prioritárias como saúde, educação e social, temos ações que contribuem diretamente para esse cenário, como o programa Invista, o Agente Local de Inovação (ALI) e o recente lançamento do Polo Tecnológico Sul”, explicou.

Ainda conforme o prefeito, outras medidas também têm favorecido o contexto de cidade produtiva, como investimentos em setores estratégicos, com o andamento do programa Uberlândia Integrada II, considerado o maior pacote de obras de mobilidade urbana da história da cidade; bem como a parte final da construção do Sistema Capim Branco, uma das maiores obras de saneamento do País.

“Nosso compromisso é continuar zelando pela cidade para valorizar os negócios instalados e atrair novos investidores. Um trabalho diário para continuar garantindo a geração de mais empregos, renda e qualidade de vida para a população”, garantiu.

O desempenho da geração de empregos em Uberlândia no exercício passado também ultrapassou os resultados anuais de 2017 e 2018 somados, quando foram criados 3.164 postos. Em três anos, 7.231 empregos foram criados. Somente no ano anterior foram 989 vagas.

Segundo o Caged, em termos de setores, o principal destaque de 2019 na cidade, ficou por conta da atividade de serviços, cujo superávit foi de 2.958 no acumulado dos doze meses, e a demissão de outros 50.857 pelo segmento.

O comércio também contribuiu bastante para o desempenho do ano, uma vez que gerou 1.233 postos de trabalho em 2019, a partir da admissão de 25.099 pessoas e demissão de 23.866.

Na outra ponta, porém, construção civil e serviços industriais de utilização pública apresentaram déficit no saldo de empregos no decorrer do exercício passado. A construção contratou 10.695 e dispensou 11.067 pessoas na cidade, gerando saldo negativo de 372 vagas. O grupo de serviços industriais de utilização pública chamou 545, mas desligou 558, provocando déficit anual de 13 empregos.