Crédito: Divulgação

A Weg S.A anunciou acordo de compra com a Transformadores e Serviços de Energia das Américas S.A (Tsea) para a aquisição da fábrica de transformadores, situada Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A unidade é considerada estratégica para que a Weg atenda os importantes investimentos em infraestrutura que devem ocorrer nas américas nos próximos anos. A transação, cujo valor não foi divulgado, está sujeita ao cumprimento de determinadas condições e à aprovação pelas autoridades de proteção à concorrência (Cade).

A unidade de Betim foi construída em 2013 pela Toshiba, que vendeu a indústria em março de 2019 para a Tsea. A fábrica possui 32,5 mil metros quadrados de área construída e conta com equipamentos e instalações de última geração. A equipe é composta por 250 colaboradores. Especializada na fabricação de transformadores de força, reatores shunt e autotransformadores de força com classe de tensão até 800kV e potência até 500MVA, o investimento é considerado estratégico.

De acordo com o diretor superintendente da unidade Transmissão & Distribuição da Weg, Carlos Diether Prinz, o aporte será importante para que a empresa possa atender a demanda do mercado nos próximos anos, já que a tendência é de ampliação dos investimentos em infraestrutura.

A aquisição da unidade de Betim foi considerada estratégica por três motivos. O primeiro pela fabrica ser bastante moderna, em termos de equipamentos, instalações e tecnologia.

“A unidade foi construída em 2013 e reúne o estado da arte em termos de produção de transformadores de grande porte”, explicou Prinz.

Ainda segundo Prinz, o segundo motivo é que além da aquisição dos terrenos, máquinas e equipamentos, a equipe de colaboradores é altamente capacitada.

“Estamos falando de cerca de 250 colaboradores com vasta experiência e muito conhecimento a nível de produção de transformadores de força. Então, estamos somando um ativo humano muito importante para a Weg, que sempre foi uma empresa muito voltada para a valorização dos colaboradores”.

O terceiro motivo é que a empresa está vislumbrando, em toda a América Latina, uma continuidade de mercado forte em termos de transformadores de grande porte. Os produtos também poderão ser exportados para a África.

“O mercado deve se manter forte, não só no Brasil, mas em todos os países, principalmente, da América do Sul”.

Em relação à representatividade da unidade nos negócios da Weg, Prinz explica que ainda não é possível mensurar, mas, pelo tipo de produto, que são transformadores de grande porte até 800kV e potência até 500MVA, a unidade terá importância no portfólio da Weg transmissão e distribuição bem significativa.

“É uma linha de produtos que, para nós, é bem estratégica e a empresa, nos últimos anos, investiu mais nesta linha de produtos. É também uma linha que a gente acredita que o Brasil tem uma necessidade de demanda muito grande. Nós estamos vendo os últimos leilões de transmissão e de geração de energia. Temos muito o que fazer no Brasil em infraestrutura, todos estes segmentos da economia necessitam da linha de produtos que é, justamente, fabricado e Betim. Então, sem duvida será uma unidade estratégica e relevante para a Weg”.

Investimentos – No momento não estão previstos investimentos na unidade de Betim, porém, em função da área total de 145 mil metros quadrados e a área construída de apenas 32,5 mil metros quadrados, futuros investimentos da Weg podem ser direcionados para a planta mineira.

“Sem dúvidas, os investimentos futuros da nossa área de transmissão e distribuição vão ter olhos bem atentos para a unidade que tem terrenos disponíveis. Neste momento, não temos nada desenhado, mas pela localização geográfica e pela disponibilidade de área vai ser o parque fabril que, no futuro, vai se desenvolver mais”, disse Prinz.