O banco digital já é o sétimo maior do Brasil em número de correntistas e avança depressa para tomar a sexta posição | Crédito: Alisson Silva

O Banco Inter alcançou a marca de 3 milhões de clientes com a abertura de 2 milhões de novas contas em um período de 11 meses. Junto com o crescimento da base, a valorização dos papéis foi de 447,54% em um ano. Além de ser a ação brasileira que mais cresceu no período, o desempenho também foi o melhor entre instituições financeiras de todo o mundo.

Atualmente o sétimo maior bando digital do Brasil em número de correntistas, o Inter avança para alcançar a sexta posição. Quando fez sua oferta inicial de ações, em abril do ano passado, o banco contava com 435 mil correntistas e chegou ao primeiro milhão em setembro do mesmo ano.

Uma oferta secundária de ações, com captação de mais de R$ 1,25 bilhão foi feira no mês passado e o banco recebeu aporte de R$ 800 milhões do grupo japonês SoftBank.

O presidente do Banco Inter, João Vitor Menin destaca que o objetivo da oferta não era apenas captar o investimento financeiro, mas principalmente trazer novos sócios com conhecimento e conexões no ecossistema financeiro mundial.

“Da mesma forma, o SoftBank não viu na nossa proposta apenas uma ação com potencial de crescimento, mas uma plataforma que gera valor para a sociedade”, complementa Menin.

O Banco Inter se prepara para lançar, até o início de outubro, um marketplace com oferta completa de produtos e serviços financeiros e não financeiros. Assim, será o primeiro Super App brasileiro.