Crédito: Divulgação

Hoje em dia, engana-se quem pensa que os colaboradores almejam unicamente um salário alto. A satisfação profissional não está mais atrelada apenas ao financeiro, e sim, ao reconhecimento profissional. O desejo está em trabalhar em uma empresa que tenha o cuidado e que permita que a pessoa se sinta bem.

Pensando nisso, surge o marketing de incentivo para preencher este espaço. Mas será que você compreende o que é e como promovê-lo dentro das organizações?

O que é o marketing de incentivo? O marketing de incentivo é um conjunto de estratégias que visam melhorar o desempenho dos profissionais. As ações de incentivo envolvem metas e premiações para as equipes e colaboradores que cumprirem tarefas, dentro de um tempo determinado. Apesar de os funcionários já estarem contratados para exercer suas funções, a motivação está além do salário compatível com o mercado.

Qual a importância do marketing de incentivo? Motivação e produtividade, são duas coisas muito ligadas dentro das empresas. Profissionais motivados produzem mais e melhor, pois o anseio e a vontade de conquistar algo, estimulam o empenho e construção para alcançar a conquista.

A produção motivada e engajada, irá, por consequência, gerar resultados para a empresa como toda.

Objetivo do uso – A campanha de incentivo não tem como objetivo principal, simplesmente “premiar” seus funcionários. A estratégia pode ser utilizada para qualquer situação empresarial que exija soluções disruptivas, como exemplo: quando se busca o aumento de receitas e vendas, conquista de novos mercados e clientes, retenção de talentos e aumento da produtividade e performance.

Como promover o marketing de incentivo? Uma campanha de incentivo assertiva é sustentada por 3 pilares: motivação, recompensa e reconhecimento. Lembre-se que essa campanha deve motivar os colaboradores, por isso estabeleça metas, prazos e premiações tangíveis. Nada de planos megalomaníacos e metas impossíveis de serem alcançadas em um tempo mínimo, caso contrário a frustração será de toda a equipe.

Após a definição do planejamento, o passo seguinte é a divulgação da campanha para toda a empresa. Enquanto a campanha estiver em vigor, busque manter seus colaboradores engajados através de feedbacks que estimulem a produtividade.

Ao final da campanha, não se limite a uma simples entrega de prêmios. Afinal, a grande diferença entre o marketing de incentivo e os programas de fidelidades, está no reconhecimento do trabalho que não pode ser visto apenas como troca de serviço por prêmio.

Dificuldades – Hoje, podemos afirmar que o maior problema para a criação de uma campanha de incentivo está nas próprias empresas. O marketing de incentivo, para fazer sentido, deve ser algo completamente condizente com a cultura corporativa da empresa.

Antigamente, as campanhas de incentivo encontravam uma barreira na legislação do trabalho. Porém, com a Reforma Trabalhista, foi aprovada a premiação habitual. Então, cabe agora às empresas se adequarem às novas culturas profissionais.

O primeiro passo para um marketing de incentivo bem assertivo é pensar fora da caixa. Não se limitar a copiar modelos utilizados em outras companhias e criar uma campanha com a cara dos seus colaboradores.

É preciso, também, que os diretores e gestores parem de enxergar o incentivo como despesa e não como investimento. É impossível negar que o desempenho de um funcionário está atrelado com fatores motivacionais. Quando um gestor não enxerga os colaboradores como seres dotados de motivações pessoais, a tendência é que se cria um ambiente desestimulante.

Grandes empresas só chegaram ao patamar que se encontram quando perceberam a importância de se trabalhar com e para as pessoas.

Empresas como Coca-cola, Siemens e outras grandes marcas utilizam as campanhas da Incentivar.io, primeiro software de incentivo que oferece facilidade para que gestores criem campanhas de motivação para seus colaboradores. (Da Redação)