COTAÇÃO DE

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6280

VENDA: R$5,6280

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6030

VENDA: R$5,7800

EURO

COMPRA: R$6,7254

VENDA: R$6,7278

OURO NY

U$1.763,38

OURO BM&F (g)

R$319,29 (g)

BOVESPA

+0,34

POUPANÇA

0,1590%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Inovação Inovação-destaque livre

Plataforma que ajuda MPEs fatura R$ 30 mil por mês

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Divulgação

Os microempreendedores Marilze de Oliveira e Silva e Wladir Aielo, sócios de uma fábrica de papéis no município de Carambeí, no Paraná, desejavam ampliar o negócio, mas não estavam em uma situação financeira favorável.

Eles então receberam a proposta que foi a solução para seus problemas: uma oferta para obterem capital de giro a juros bem abaixo dos praticados no mercado. Isso só foi possível graças à antecipação de recebíveis já programados que iriam demorar a entrar no fluxo de caixa da empresa.

PUBLICIDADE

“Queríamos adquirir mais uma máquina para a produção e mais um veículo para entrega, mas não tínhamos o dinheiro necessário em caixa. Com a antecipação, conseguimos dar este passo importante em nosso negócio”, declara Marilze.

A proposta partiu da Giro.Tech, fintech que lançou uma plataforma digital que conecta agentes financiadores dispostos a fazer a antecipação para essas pequenas empresas.

“Quem compra quer esticar o prazo para pagamento, mas quem vende precisa receber. Às vezes, o dinheiro leva até 90 dias para entrar no fluxo de caixa do pequeno empresário. Isso impacta no pagamento de suas contas, dos funcionários e até mesmo da matéria-prima de seu negócio. O capital de giro ajuda a pequena empresa a continuar firme em seu mercado”, explica o sócio da Giro.Tech, Ronaldo Campos de Oliveira.

A nova fintech fechou 2019 com R$ 44 milhões em antecipações com uma taxa de desconto a partir de 1%, ou seja, bem abaixo das comumente utilizadas no mercado, que, para o pequeno empresário, geralmente partem de 3% e podem chegar a 10%.

Segundo Oliveira, isso é possível porque a Giro.Tech integra o sistema da compradora à sua plataforma e conecta as solicitações de antecipação ao sistema do financiador da operação, que pode ser um Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC), disponibilizando a este os recebíveis e o status de que o serviço ou o produto já foi entregue a ela e que não terá contestações futuras devido a problemas com o produto ou serviço prestado por esse fornecedor.

Segundo Oliveira, o recurso também tem se mostrado cada vez mais importante para as grandes empresas, tendência europeia que chega com força no Brasil.

“As empresas estão cada vez mais preocupadas com a saúde financeira de seus fornecedores, já que isso melhora a relação entre as duas partes e principalmente a qualidade dos produtos e serviços entregues. Além disso, tomar medidas que ajudam a fortalecer a cadeia de fornecedores é algo que tem sido valorizado e bem-visto no mercado”, conta.

Para 2020 a projeção é que a fintech opere mais de R$ 400 milhões potenciais antecipações com contratos já firmados para o ano e pretende expandir este número em pelo menos duas vezes para 2021.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!