COTAÇÃO DE 23 A 25/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,6750

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Inovação

ArcelorMittal investe R$ 100 mi na aceleração de startups

COMPARTILHE

Crédito: Leo Drumond-NITRO

A ArcelorMittal acaba de criar um fundo de gestão por meio do qual irá investir mais de R$ 100 milhões na aceleração de startups e pequenas empresas inovadoras. O fundo Smart Ventures é o pioneiro da empresa no Brasil e inaugura uma série de iniciativas voltadas para os próximos anos, que incluem ainda a criação da Diretoria de Estratégia, Inovação e Transformação do Negócio, considerada internamente uma “Diretoria do Futuro”, por reunir numa mesma equipe, a missão de potencializar a estratégia do negócio conectando a performance de hoje com os desafios do amanhã.

A ação reforça o protagonismo e confiança da ArcelorMittal no ambiente de negócios do País. “O aporte inédito reforça o olhar da empresa para o futuro, que é o que a mantém há 100 anos atual e apta a constantes desafios, além de líder na produção de aço no Brasil. Com esse movimento, a empresa avança no fortalecimento do seu ecossistema, para torná-lo mais competitivo, inovador e conectado com as demandas do negócio”, diz o CEO da ArcelorMittal Aços Longos Latam e Mineração Brasil, Jefferson De Paula.

PUBLICIDADE

Os investimentos do fundo, um Corporate Venture Capital (CVC), estão previstos para os próximos quatro anos e serão destinados a empreendimentos no Brasil e em outros países da América Latina que tenham alto potencial de crescimento. A estratégia é identificar startups que tenham solução validada e que desenvolvam novos negócios, produtos e serviços ou incorporem novas tecnologias para aumentar a competitividade e enriquecer a proposta de valor da cadeia da ArcelorMittal. As startups selecionadas estarão relacionadas às áreas de Siderurgia, Mineração, Construção Civil, Indústria, Sustentabilidade, Logística, Comercial, Varejo e Distribuição.

O Smart Ventures será uma das responsabilidades da nova diretoria, que terá à frente Paula Harraca. De acordo com a executiva, o objetivo é integrar a estratégia junto a temas relevantes da sociedade contemporânea que demandam endereçamento, como inovação, ESG, investimento social, novos negócios e cultura organizacional, diversidade e inclusão.

“Diante deste cenário, o segmento de aços longos da ArcelorMittal ousa ao agrupar agendas de futuro que não costumam estar unidas em uma mesma diretoria, por entender que são interdependentes e que na sua integração se cria um lugar de potência transformadora para alavancar a performance da empresa de forma sustentável”, afirma a diretora.

De Paula a empresa avança no fortalecimento do ecossistema, para torná-lo mais competitivo | Crédito: Leo Drumond / NITRO

Mentoria para startups Com o lançamento do fundo, a ideia é aplicar o conceito de “Smart Money”, ou seja, além do aporte financeiro, a ArcelorMittal também irá acompanhar e oferecer mentoria para maximizar a chance de sucesso. Para Jefferson de Paula dar este passo só é possível porque, nos últimos anos, a companhia consolidou ativos valiosos como o domínio do negócio na frente técnica, a saúde financeira e um perfil competitivo.

“Com investimentos em projetos que buscam transformar o setor, a empresa fortalece seu papel como agente de mudança na indústria do aço e na sociedade. A cocriação, a troca de expertise da ArcelorMittal com a experimentação das startups, a consolidação da cultura da inovação na organização e o impacto dos projetos no mercado são alguns dos ganhos previstos com o Smart Venture”, explica De Paula.

O Smart Ventures representa a evolução de uma estratégia iniciada com a criação do primeiro laboratório de inovação do setor siderúrgico do mundo, o Açolab, que completa três anos em julho. Com atuação voltada para facilitar, organizar e acelerar o processo de inovação na ArcelorMittal, o hub de inovação está conectado a 4,5 mil startups (cerca de 30% do total de startups brasileiras) e servirá de referência para atrair startups potenciais para o fundo.

Reestruturação – “A Diretoria do Futuro” abrange áreas interdependentes para a construção do amanhã da indústria do aço:

• Estratégia e ESG
• Inovação e Novos Negócios
• Cultura Organizacional, Diversidade e Inclusão
• Comunicação, Branding e Relacionamento Institucional
• Fundação ArcelorMittal
• Modelo de gestão e transformação do negócio

Com essa mudança, a antiga Diretoria de Pessoas e Inovação teve sua configuração revista, dando lugar à Diretoria de Pessoas, Saúde e Bem-Estar, liderada por Sofia Camisasca, que ocupava anteriormente o cargo de Gerente-Geral de Pessoas da ArcelorMittal Longos e Mineração Brasil.

Dessa forma, o time de Diretoria de Aços Longos incorpora mais uma mulher para o C-level da companhia. Entre as atribuições dessa diretoria estão não apenas os processos habituais relacionados a Recursos Humanos – atração, desenvolvimento, remuneração e benefícios, business partner etc – mas também uma dimensão maior voltada à promoção da saúde e da qualidade de vida, visando acompanhar de perto a jornada e melhorar a experiência de trabalho dos colaboradores.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!