Crédito: Pixabay

Ser um espaço de compartilhamento para a indústria que busca novas soluções no mercado é a missão do projeto Conecta Hub, desenvolvido em parceria pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Grupo Ânima Educação e DTI Digital. O objetivo é ser uma ferramenta de promoção de iniciativas inovadoras, por meio da conexão com a comunidade acadêmica.

De acordo com o superintendente de Comunicação da Fiemg, Pedro Costa, o hub nasce da necessidade de aproximação entre indústrias e academia especialmente nesse período de grandes e profundas transformações em ambos os lados, impulsionadas pelo contexto da Covid-19.

“Existe uma transformação em curso que vai da base ao topo da pirâmide. Empresas surgem, acabam, mudam seus corpos diretivos e vamos observando que elas estão ficando mais distantes da academia do ponto de vista do trabalho. O estudante não vê mais a indústria como empregadora. Então criamos, junto com o Grupo Ânima, há cerca de seis meses, um projeto para que o aluno entenda a indústria como um lugar onde ele pode trabalhar e crescer e a indústria tome contato com todo tipo de inovação que está sendo desenvolvida porque é na academia que isso acontece”, explica Costa.

No Hub Conecta alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Serviço Social da Indústria (Sesi) são convidados a frequentar os laboratórios do Grupo Ânima nos seus centros universitários instalados no Estado e os alunos do Grupo têm acesso aos laboratórios do Sistema.

As demandas podem ser encaminhadas pelos setores ou empresas por meio dos sindicatos patronais filiados à Fiemg, pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL) ou pelas próprias instituições de ensino. O primeiro grande cliente do hub é a própria Fiemg, que está remodelando a atuação do seu setor de educação, que vai da formação técnica até a educação executiva.

“A indústria fica no dia a dia vivendo naquele processo que já é muito complexo. Surgem problemas que vão impactar o futuro, mas o esforço da equipe está voltado para o dia a dia. Ela naturaliza o problema e não pensa na solução. É aí que queremos atuar. Além do Grupo Ânima, está conosco nessa empreitada a DPI Digital, que é uma empresa de software que trabalha com a metodologia de agilismo. Ela faz a entrega por fases, resolvendo partes do problema”, destaca o superintendente de Comunicação da Fiemg.