COTAÇÃO DE 03/03/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6633

VENDA: R$5,6643

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6670

VENDA: R$5,8200

EURO

COMPRA: R$6,9216

VENDA: R$6,9235

OURO NY

U$1.714,78

OURO BM&F (g)

R$316,24 (g)

BOVESPA

-0,32

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Inovação Inovação-destaque livre

Indústrias brasileiras que pretendem investir em 2020 miram aumento de produtividade com tecnologia

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Ao invés de abrir novas plantas ou ampliar o parque industrial, gestores devem buscar soluções que otimizem a produção, comenta especialista | Crédito: Divulgação

O percentual de indústrias brasileiras que pretendem investir neste ano é o maior desde 2014, ano da deflagração da crise econômica.

Naquele período, 85% dos empresários do setor relataram que iriam aportar novos recursos, enquanto em 2020, 84% das empresas afirmam que pretendem investir na operação, segundo a pesquisa “Investimentos na Indústria”, realizada anualmente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

PUBLICIDADE

O resultado mostra a recuperação do otimismo no setor industrial, uma vez que o índice deste ano é 4% superior a intenção relatada em 2019. 

Entre os principais objetivos para 2020, o destaque fica por conta da melhoria do processo produtivo. De acordo com a pesquisa, 36% das empresas apontam que o aumento de produtividade é o grande alvo quando pensam em investir – percentual semelhante ao previsto no ano passado.

Na sequência, 23% dos gestores assinalaram que pretendem ampliar a capacidade da linha produtiva. 

Matheus Pagani, CEO da Ploomes: “A sinalização da pesquisa é importante para o mercado, porém o investimento precisa ser realizado de maneira racional” | Crédito: Divulgação

Para Matheus Pagani, CEO da Ploomes, empresa que detém plataforma de CRM voltada às indústrias e distribuidoras, a sinalização é importante para o mercado, porém existe o alerta sobre o risco envolvido para algumas empresas do setor.

“Antes de contratar mais mão de obra e atualizar seu parque de máquinas, os líderes precisam ter evidência concreta sobre sua real demanda em 2020. Essa previsão jamais pode ser feita pelo chão de fábrica. A orientação deve ocorrer via inteligência administrativa do departamento comercial”, explica.

Nesse contexto, as plataformas de Customer Relationship Management (CRM), ou gestão de relacionamento com o cliente, podem ser a ponte da comunicação entre a administração e a produção da indústria, gerando previsão de demanda por meio de relatórios de venda em primeira mão.

“Ao acompanhar o ciclo completo de vendas de um produto em tempo real, o departamento comercial das indústrias pode fornecer informações valiosas para uma produção Just-in-Time, economizando recursos financeiros e fornecendo soluções personalizadas que fidelizem seus clientes mais estratégicos”, argumenta Pagani.

Dados coletados pela consultoria Gartner revelam que o mercado global de CRM cresceu 15,6% em 2018 – último dado disponível. Com movimentação acima de US$ 48 bilhões, os softwares de gestão de relacionamento com o cliente já lideram o segmento corporativo, superando o ERP.

A previsão é de que o faturamento atinja US$ 80 bilhões até 2025 com a tendência de centralização das operações das empresas em torno do cliente (Customer Centric).

“O setor industrial já entendeu a relevância de incorporar um CRM em sua gestão. Algumas indústrias começam a usufruir do efeito cascata trazido pela inteligência comercial, uma vez que eles aumentam a performance dos vendedores e, consequentemente, elevam os ganhos financeiros com a maior recorrência de vendas dentro da carteira de clientes. Por isso, antes de investir na modernização da produtividade, é de suma importância observar esse detalhe”, conclui o CEO da Ploomes. 

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente