COTAÇÃO DE 27/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7380

VENDA: R$4,7380

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8300

VENDA: R$4,9460

EURO

COMPRA: R$5,0781

VENDA: R$5,0797

OURO NY

U$1.853,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+0,05

POUPANÇA

0,6462%

OFERECIMENTO

exclusivo Inovação Inovação-destaque

Menu vai desembarcar em Belo Horizonte

COMPARTILHE

Teremos um aporte de um fundo de NY, afirma Almeida - Crédito: Divulgação

A Menu – startup de tecnologia que simplifica o comércio de alimentos B2B no Brasil – desembarca em Belo Horizonte em breve.

A empresa, fundada pelo mineiro Leonardo Almeida em 2016, já atua em grandes mercados como São Paulo (capital e interior) e Rio de Janeiro, e se prepara para atender a capital mineira ainda em 2020, com vistas de chegar também ao interior do Estado nos próximos anos.

PUBLICIDADE




“Hoje, São Paulo é responsável por 80% do nosso mercado. Além disso, já estamos na capital carioca e, até o fim do primeiro trimestre, expandiremos para o interior do Rio de Janeiro. Já estamos em negociação com possíveis fornecedores para Belo Horizonte, onde deveremos chegar ainda neste exercício. O interior de Minas vai demandar um tempo um pouco maior de planejamento, mas também está no nosso radar”, explicou Almeida, que é CEO e diretor executivo da marca.

O empresário identificou a oportunidade na indústria de bens de consumo quando trabalhava com e-commerce para uma multinacional e percebeu a dificuldade das indústrias em implementar a transformação digital – principalmente em setores tradicionais como o de alimentos e bebidas. Mesmo em um mercado que movimenta mais de R$ 650 bilhões por ano, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), não havia um grande marketplace ou e-commerce do ramo alimentício no Brasil.

Foi então que nasceu a Menu. Hoje, a empresa cresce 50% ao mês e é oferece soluções completas de tecnologia para a indústria alimentícia, com duas unidades de negócio, mais de 100 mil cadastros (dos quais 5 mil ativos) e grandes clientes no setor, como Alelo, Ambev, Unilever, Grupo Pão de Açúcar, entre outros. Os fornecedores somam cerca de 60 empresas com mais de 40 mil produtos diferentes.

“No ano passado, melhoramos a maior parte dos nossos indicadores, como taxa de conversão, engajamento de clientes e volume de contratos. Tivemos uma evolução bem significativa nos negócios e crescemos cerca de 10 vezes em 2019 na comparação com 2018. Para este ano, apostamos em um desempenho ainda melhor: alta entre 20 e 30 vezes”, apostou.

PUBLICIDADE




O otimismo de Almeida se deve a uma série de fatores, entre os quais está a retomada da economia, a recuperação dos níveis de emprego e renda e o consequente crescimento do setor de bens de consumo em todo o País. Além disso, conforme ele, a abertura de novos mercados também deverá impulsionar os negócios.

“Em 2020, teremos um aporte de um fundo de Nova York que vai nos permitir investir ainda mais, principalmente na atração e retenção de clientes”, justificou sem revelar maiores detalhes, e ao dizer que serão “algumas dezenas de milhões de reais”.

Entre as soluções que a Menu oferece, está a simplificação do processo de compras de pequenos supermercados, restaurantes e bares nas cidades em que atua. O marketplace da marca conecta fornecedores e comerciantes em São Paulo e no Rio de Janeiro. Pela plataforma, o cliente tem acesso aos fornecedores parceiros e consegue comparar preço, comprar mais barato e receber os produtos em até 48 horas.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!