O projeto-piloto da Patrimar será implantado em empreendimentos em Minas e no Rio | Crédito: Divulgação

Se por um lado a pandemia do novo coronavírus causou impactos econômicos e sociais em todo o mundo, por outro, acelerou processos previstos para acontecerem apenas daqui a alguns anos.

Quem pensou, por exemplo, que em pleno 2020 as compras realizadas por delivery seriam entregues por um robô? Em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), a tecnologia já faz parte da rotina dos moradores de um condomínio.

Trata-se do empreendimento Soho, da empresa Patrimar Engenharia, do Grupo Patrimar, o primeiro prédio vertical a receber um serviço comercial de entrega por drones terrestres na América Latina e o primeiro condomínio em Minas Gerais e o quinto no Brasil a receber um robô como forma de inovação tecnológica.

De acordo com a Gerente Administrativo do grupo e responsável pelo desenvolvimento do projeto, Patrícia Maria Bernardino, este é apenas o piloto, mas empreendimentos já dotados com o serviço já estão em desenvolvimento e serão lançados, em breve, tanto em Minas Gerais quanto no Rio de Janeiro.

Segundo ela, a tecnologia, nomeada como D4 Touchless Delivery, foi desenvolvida em parceria com a startup D4 MyView, especializada em automação de drones através da tecnologia 4G, e com as empresas DHL Supply Chain e a Unike Technologies.

“Conheci a ferramenta e, em tempos de pandemia, em que precisamos nos reinventar, levei a proposta para a diretoria, que resolveu testar em um de nossos empreendimentos. O U. Pack Home Delivery será testado por 30 dias nos horários de pico, proporcionando maior segurança e comodidade aos condôminos e prestadores de serviço, uma vez que evita o contato entre as pessoas”, explicou.

 Monitoramento – Neste primeiro momento, operadores da empresa desenvolvedora monitoram remotamente os movimentos do carrinho, que se locomove a partir de tecnologia 4G. No futuro, a expectativa é implementar um dispositivo que vai permitir que ele só se abra para retirada da encomenda ao reconhecer o rosto do morador que fez o pedido.

Outras funções da tecnologia incluem uma maior agilidade no processo de entregas do condomínio, otimização do trabalho da equipe da portaria, com redução diária no número de liberações para entregadores; modernidade e inovação como diferenciais para condomínios, incorporadoras, construtoras e imobiliárias; e diminuição no tempo dos entregadores.

Ainda conforme a gerente, para utilizar o serviço, o morador precisa efetuar toda a compra de maneira on-line em qualquer aplicativo. Após o produto chegar na portaria e ser higienizado, ele é inserido no robô, que se locomove até a entrada do prédio.

O condômino apenas olha para a parte superior do robô por três segundos para abrir o compartimento, retirar o produto e fechar a tampa. Feito isso, o drone terrestre iniciará o trajeto automaticamente para a sua base que fica localizada portaria.

“O robô realiza a entrega automatizada de diferentes pacotes de delivery, como comida, remédios e mercadorias. A carga prevista é de até 8 quilos e com tamanho máximo 50 centímetros quadrados”, explicou.

Procurada, a startup D4 MyView não disponibilizou fonte.