As prefeituras municipais de Itabirito e Ouro Branco, juntamente com as entidades aqui representadas (Federação das Indústrias de Minas Gerais – FIEMG, Instituto Aço Brasil, Instituto Brasileiro de Mineração, Sindicato das Indústrias Extrativas deMinas Gerais, Instituto Brasileiro de Árvore – IBÁ, Sindicato da Indústria de Ferro de Minas Gerais – Sindifer, Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais e do Brasil – Amig e Associação Mineira da Indústria Florestal – AMIF), todas instituições comprometidas com o desenvolvimento econômico e social do Estado de Minas Gerais, vêm a público expressar seu apoio aoProjeto de Lei nº 1822/2020, apresentado pelo Deputado Antônio Carlos Arantes, que prevê a alteração dos limites do Monumento Ambiental Estadual da Serra da Moeda.

A medida é determinante para o progresso econômico do Estado e, sobretudo, para o desenvolvimento social e ambiental da região.
O projeto em questão viabiliza a continuidade das operações da Mina de Várzea do Lopes, importante polo produtor de minério da região e operada pela empresa Gerdau. E trará uma série de benefícios às comunidades locais, aos municípios e ao próprio Estado de Minas Gerais

>> O aumento da área ambientalmente protegida, uma vez que a empresa Gerdau efetuará uma compensação de 75 hectares, representando 5,8 vezes a área cedida pela alteração, trazendo um claro benefício à unidade de conservação que, além de um acréscimo na sua extensão, alcançará a Estação Ecológica de Aredes por meio de um corredor ecológico;

>> A manutenção de aproximadamente 1500 empregos diretos e mais de 5000 empregos indiretos,posto que a negativa da alteração acarretará a descontinuidade da operação da mina e, por consequência, dos empregos por ela gerados;

>> A injeção anual de cerca de R$ 20 milhões pagos em impostos aos municípios da região, possibilitando o investimento desse valor em programas de atendimento às necessidades da população local;

>> Investimentos socioambientais no município de Moeda com foco em gestão de água, infraestrutura, educação,
saúde e turismo;

>> Operação sem uso de barragens, uma vez que o processamento de minério da Gerdau na região é feito a seco.

Considerando o momento econômico e social delicado que tanto o Brasil quanto nosso Estado atravessam, fica evidente que o PL 1822/2020 é de vital relevância para a sociedade mineira. A situação já crítica das finanças em Minas Gerais, agravadas pela maior pandemia da história moderna, torna imperativo que tenhamos mais iniciativas de apoio ao desenvolvimento econômico, sempre respeitando os princípios de sustentabilidade e responsabilidade social, como neste caso.
Dada a relevância do projeto, fazemos aqui um pedido público para que a Assembleia Legislativa trate o assunto como prioridade, garantindo a existência de instrumentos adequados de preservação ambiental de uma de nossas importantes reservas, bem como a continuidade da atividade econômica da mineração, tão importante para Minas Gerais.