Crédito: Eltinho Baladas/ Previdência Social

São Paulo – Os aposentados, pensionistas e segurados que recebem auxílios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) acima do salário mínimo terão seus benefícios reajustados em 4,48% neste ano. O índice corresponde à variação da inflação medida de janeiro a dezembro de 2019.

Para calcular o reajuste dos benefícios acima do piso, o INSS utiliza a inflação medida pelo (Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na sexta-feira (10).

Esse indicador calcula a variação do custo de vida das famílias com renda mensal de um a cinco salários mínimos. Em 2019, o governo reajustou esses benefícios em 3,43%.

Com o aumento anual, o teto do INSS passa de R$ 5.839,45 para R$ 6.101,05. O teto é o valor máximo pago pelas aposentadorias do INSS e também é a referência para calcular o desconto nos salários dos trabalhadores com carteira assinada que ganham remunerações maiores.

Para os beneficiários que recebem um benefício igual ao salário mínimo, o valor de sua renda aumenta de R$ 998 para R$ 1.039. Para calcular o valor do salário mínimo válido em 2020 o governo estimou uma inflação de 4,11% para 2019. Cerca de 70% dos beneficiários da Previdência recebem um salário mínimo.

De acordo com o INSS, cerca de 35 milhões de aposentados e pensionistas estarão na folha de pagamentos da Previdência em 2020.

Os segurados que ganham mais que o piso e se aposentaram a partir de fevereiro de 2019 terão o primeiro reajuste proporcional, considerando a quantidade de meses em que o benefício foi pago no ano passado.

O reajuste e o novo piso dos benefícios são válidos desde o dia 1º de janeiro de 2020 e o INSS começa a depositar os benefícios com aumento anual na folha de pagamentos de janeiro. Os beneficiários que recebem o salário mínimo terão o primeiro pagamento com reajuste entre os dias 27 de janeiro e 7 de fevereiro. Já os benefícios acima do piso serão pagos com o reajuste anual da inflação entre os dias 3 e 7 de fevereiro. A data exata depende do número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço. (Folhapress)