BHP registra melhor resultado em cinco anos, impulsionada pela alta do minério de ferro
BHP aponta que demanda pelo minério pode ser impacatada pelo coronavírus - Crédito: REUTERS/Stringer

Melbourne – Os preços robustos do minério de ferro levaram o Grupo BHP a seu melhor resultado em cinco anos, mas a maior mineradora do mundo afirmou que a demanda deste ano poderá sofrer um impacto se as consequências do surto de coronavírus na China se prolongarem além de março. A companhia é sócia da Vale na mineradora Samarco.

O lucro subjacente da BHP nas operações avançou para US$ 5,19 bilhões nos seis meses terminados em 31 de dezembro, ante US$ 4,03 bilhões no ano anterior, o resultado mais forte desde 2015, elevado pelos altos preços do minério de ferro após a interrupção da oferta do ano passado no Brasil e a sólida demanda chinesa.

Os resultados ficaram abaixo das estimativas de lucro de US$ 5,28 bilhões, de acordo com analistas consultados pelo instituto de pesquisa Vuma Financial. Um dividendo intermediário de 65 centavos, 10 centavos a mais que no ano passado, superou as previsões para um dividendo de 71 centavos.

“Enquanto o coronavírus estiver… melhor contido neste trimestre, em geral, pensamos que, durante o restante do tempo, a demanda geral do mercado e da economia se manterão”, disse o novo presidente-executivo da BHP, Mike Henry, em um briefing para investidores.

“Se isso se estender além disso, é claro que voltaremos a analisar quais são as implicações.”

O banco UBS disse que o dividendo está abaixo das previsões porque o conselho adotou uma abordagem conservadora do surto de vírus.

Por enquanto a BHP ainda não presenciou um grande impacto em seus negócios e os clientes continuaram pagando os pedidos, disse Henry, acrescentando que outras interrupções no fornecimento sustentaram os preços do minério de ferro.

A Rio Tinto diminuiu na segunda-feira sua previsão para embarques de minério de ferro deste ano, após um ciclone atingir a costa da Austrália Ocidental neste mês.

A BHP é a primeira entre seus pares a reportar ganhos. Espera-se que as mineradoras globais lucrem com os preços mais altos do minério de ferro do ano passado, com um novo impulso à medida que a China injeta mais dinheiro em sua economia para aliviar uma desaceleração econômica.

As importações de minério de ferro da China estavam em seu segundo nível mais alto em 2019, aumentando ainda mais os lucros.

A BHP estava buscando aumentar sua exposição ao cobre e níquel por meio da exploração e aquisição em estágio inicial, afirmou o presidente-executivo da empresa, acrescentando que também estava trabalhando em um projeto de potássio que produz um ingrediente vital para fertilizantes.

Henry disse ainda que a empresa poderia vender seus ativos de carvão térmico se encontrasse um comprador pelo preço certo.

A BHP também está usando mais energia renovável e trabalhando para reduzir as chamadas emissões do “escopo três” – ou as emissões feitas pelos seus clientes. Além disso, está analisando as associações industriais financiadas para garantir que cumpram objetivos de mudança climática.

A BHP estava reestruturando suas operações de tecnologia para reduzir custos e planejava dobrar o número de funções permanentes de cerca de 30% para 40% de sua força de trabalho – que conta com 72 mil funcionários atualmente, disse o presidente-executivo da empresa.

As ações australianas subiram 0,8% nesta terça-feira e encerraram a 38,78 dólares australianos, com o setor de mineração se recuperando depois que a China intensificou os estímulos para amortecer o impacto do surto de coronavírus.

O fluxo de caixa livre da mineradora chegou a US$ 3,7 bilhões, comparado aos US$ 3,6 bilhões do ano anterior. (Reuters)