Segundo presidente, governo buscará licitações mais transparentes e com concorrência externa - Crédito: Antonio Cruz/ Agência Brasil

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem, em publicação no Twitter, que autorizou o início do processo de entrada do Brasil no Acordo de Compras Públicas da Organização Mundial do Comércio (OMC), que permite um tratamento isonômico a empresas estrangeiras interessadas em participar de licitações e concorrências públicas no País.

“Autorizei o início da acessão do Brasil ao Acordo de Compras Públicas da OMC. Em respeito ao dinheiro do pagador de imposto, buscaremos licitações mais transparentes e com ampla concorrência internacional, abrindo ainda um mercado de US$ 1,7 trilhão/ano para empresas brasileiras”, disse Bolsonaro.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia afirmado nesta semana em Davos, onde participa do Fórum Econômico Mundial, que o Brasil iria aderir ao acordo internacional de compras governamentais.

Segundo Guedes, a medida representa um “ataque frontal à corrupção” e mais um passo na busca pelo País de entrar “na primeira divisão de melhores práticas”.

Na semana passada, o Brasil recebeu o apoio do governo dos Estados Unidos para entrar na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A associação ao organismo é vista como um selo de aprovação que aumentaria a confiança dos investidores no governo e na economia do Brasil. (Reuters)