Integrantes da Cemig SIM, Mori e Casa Grão assinaram o contrato de número 1.000 | Crédito: Divulgação

Mais de mil empresas e condomínios aderiram à geração de energia solar compartilhada da parceria Cemig SIM e Mori Energia e já economizaram R$ 2,5 milhões. Além disso, 4,6 toneladas de CO2 deixaram de ser lançadas na atmosfera, colaborando para a sustentabilidade e o desenvolvimento econômico do Estado de Minas Gerais.

De acordo com o CEO da Cemig SIM, Danilo Gusmão, o número de clientes cresceu rapidamente devido à qualidade do produto, à excelência do atendimento e à adesão totalmente digital.

“Temos nossos clientes no centro das decisões e trabalhamos para proporcionar soluções inovadoras e inteligentes com uso eficiente dos recursos energéticos. A contratação é on-line e sem burocracias. Basta acessar o site da Cemig SIM, solicitar uma proposta e contratar um dos nossos planos de forma simples e ágil”, destaca Gusmão.

Segundo o CEO, o sucesso da estratégia comercial está amparado por grandes parceiros. “Fechamos contratos com empresas, associações e administradoras de condomínio, como: Fiemg, Minaspetro, CDL-BH, ACMinas, Federaminas, Sicoob-Cecremge, Sincodiv, Opala, Abih-MG, Prosind, Grupo Zelo, Pacto Administradora, Casa, construtora Patrimar e outros”, enfatiza.

Para a construção das usinas, a Cemig SIM firmou parceria com a Mori Energia. Juntas, as empresas pretendem implantar 32 usinas solares fotovoltaicas em 17 cidades do estado, equivalente ao fornecimento de energia a 1,7 milhão de residências, ou seja, duas vezes o tamanho de Belo Horizonte.

Conforme o diretor-presidente da Mori Energia, Bruno Shiraga, a solidez e confiabilidade desta parceria ficam evidentes no pioneirismo dentro do mercado. “Acreditamos em Minas Gerais e por isso estamos investindo R$ 650 milhões para oferecer soluções diferenciadas, que fortaleçam a economia e que beneficiem o meio ambiente”, afirma.

A disseminação da energia solar para o varejo pode significar maior competitividade, crescimento e geração de empregos para o Estado. “Durante todas as etapas da construção são usados apenas materiais e equipamentos da mais alta qualidade com o controle feito pela nossa própria equipe interna de engenheiros. Contamos com um planejamento detalhado, que movimenta a economia das cidades onde são construídas as usinas, gerando empregos e desenvolvimento econômico local”, destaca Shiraga.

Cliente número 1.000 – O cliente de número 1.000 das empresas é o Café, Empório e Restaurante Casa Grão, que terá significativa economia na conta de energia.
Para um dos sócios do estabelecimento, Emerson Lessa, a busca pela sustentabilidade é um dos pilares do negócio

“Desde a nossa chegada ao Edifício Aureliano Chaves, pensamos no consumo consciente de recursos naturais. O imóvel é um empreendimento sustentável, recebeu o Certificado Leadership in Energy and Environmental Design – Grau Ouro, comprovando o comprometimento com a natureza. Com a nossa entrada para comunidade Solar Cemig SIM e Mori Energia, vamos colaborar ainda mais com o meio ambiente e reduzir os custos com energia elétrica, por meio da geração de energia limpa. Estamos felizes em dar nossa contribuição ao planeta”, reitera o empresário.

Quem pode ter energia mais barata? – Empresas, condomínios e comércios que possuem conta acima de R$ 450 podem aderir ao modelo e, o melhor, não é necessário nenhum tipo de investimento, instalação ou obras. A energia é gerada remotamente em áreas com radiação solar mais favorável, no norte e noroeste de Minas Gerais, e chega pela rede da distribuidora, porém, com menor custo. (Da Redação)