Somente a China comprou 115,4 mil toneladas de carne de frango brasileira em fevereiro | Crédito: Rodolfo Buhrer/Reuters

São Paulo – As exportações de carne de frango do Brasil avançaram 10% em fevereiro na comparação anual, impulsionadas por nova alta nos embarques para a China, disse nessa quinta-feira (5) a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

De acordo com a entidade, 348,4 mil toneladas do produto (in natura e processado) foram exportadas no mês passado, gerando receita de US$ 553,8 milhões, um aumento de 5,2% em relação a igual período de 2019.

A China sozinha adquiriu 115,4 mil toneladas de carne de frango brasileira em fevereiro, um crescimento de 59% no ano a ano, destacou a ABPA em comunicado, ressaltando que a epidemia de coronavírus e a consequente extensão do feriado de Ano Novo Lunar não reduziram a demanda do país asiático.

“Ao contrário, houve um impulso pouco comum para o período. Os impactos na peste suína africana continuam a ditar o comportamento deste mercado, assim como em outros países asiáticos”, afirmou o presidente da ABPA, Francisco Turra.

Desde que foi inicialmente detectada, em meados de 2018, a peste suína africana já dizimou o plantel de porcos da China, maior do mundo, e alavancou a demanda do país por proteínas importadas. A doença, inofensiva para humanos, mas fatal para suínos, também afetou outros países da Ásia.

Dessa forma, o diretor-executivo da ABPA, Ricardo Santin, destacou a consolidação do continente como principal destino da carne de frango do Brasil. Além da China, nações como Coreia do Sul (+12,5% no bimestre), Cingapura (+49%) e Filipinas (+104%) também incrementaram as aquisições do produto brasileiro.

O resultado positivo acompanha o crescimento de 25% nas exportações de carne suína do Brasil, cujo balanço foi divulgado na quarta-feira pela ABPA. (Reuters)