A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) recebeu aporte de R$ 80 milhões do Ministério da Educação (MEC). O recurso será destinado para credenciamento de universidades e institutos federais como novas Unidades (Embrapii), além de financiar e desenvolver mais projetos de inovação com os centros de pesquisa cadastrados.

No modelo da Embrapii, as empresas que possuem um projeto avaliado como inovador podem buscar uma das 42 Unidades credenciadas pela instituição (renomados centros de pesquisa distribuídos pelo país) para desenvolverem seus projetos. A demanda da indústria é avaliada, inclusive, com análise de questões como viabilidade técnica e interesse do mercado.

Caso aprovados, os gastos para o desenvolvimento são divididos em três partes. A Embrapii fica responsável por até um terço do investimento (recursos não reembolsáveis). Os 2/3 remanescentes dos recursos necessários para a execução são negociados entre a unidade credenciada e as empresas contratantes do projeto.

O diretor-presidente da Embrapii, Jorge Almeida Guimarães, lembra que, desde 2013, a instituição tem contribuído para o desenvolvimento da pesquisa e inovação na indústria brasileira. Já são mais de 850 projetos apoiados em diferentes áreas, beneficiando empresas em todas as regiões do Brasil. O recurso aportado irá contribuir para que este trabalho continue crescendo, juntamente com a colaboração dos institutos de pesquisas.

“As universidades brasileiras têm reconhecida competência para atuar em projetos de inovação e a Embrapii oferece tais possibilidades pelo financiamento com recursos não reembolsáveis, centrado em um processo simples, ágil, flexível e sem burocracia. Com apoio, é possível construir um espaço maior de inovação em cada campus universitário”, destaca.

Para o ano de 2020, estão previstos R$ 47,8 milhões oriundos de emenda parlamentar, que fortalecerá as ações da instituição. Somado a esse montante, a expectativa é que outros aportes venham do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), bem como um aporte do orçamento de 2020 do MEC.

Chamada – A Embrapii abriu ontem uma chamada pública para universidades federais. O processo irá selecionar, dentro de universidades, grupos de pesquisadores que já trabalham em temas de pesquisa aplicada para atender demandas do setor industrial. O prazo para se candidatar vai até 31 de janeiro.

“Trata-se de mais uma oportunidade para ampliação da rede de unidades Embrapii credenciadas. Desta vez, a chamada pública objetiva atrair as universidades federais para, na condição de Unidade Embrapii, disponibilizarem sua experiência acumulada em pesquisa e inovação para atender as demandas de inovação industrial”, destacou o diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães.

Os grupos das universidades que forem selecionados como Unidades Embrapii serão credenciados para receber recursos de até R$6 milhões (no período de três anos) para executar projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Esses grupos terão de cumprir metas de desempenho ao desenvolver projetos em parceria com empresas do setor industrial.

Podem se candidatar ao credenciamento todos os grupos de pesquisadores de universidades federais que já desenvolvam parcerias com empresas do setor industrial. Cada universidade federal que não possua unidade Embrapii credenciada poderá submeter uma candidatura.

Entre os requisitos para se candidatar, os grupos de pesquisadores deverão demonstrar experiência no desenvolvimento de projetos de PD&I, apresentando uma lista de projetos contratados com empresas da área industrial no período de 2017 a 2019.

A chamada pública vai receber propostas de pesquisadores de universidades federais que desenvolvam projetos nas áreas de agricultura, processos agroindustriais e tecnologias de alimentos; energias renováveis; materiais avançados e tecnologias de informação e comunicação (TICs). (Da Redação)