Crédito: REUTERS/Aly Song

Estocolmo– A Ericsson informou nesta sexta-feira (24) um aumento menor do que o esperado nos lucros do 4º trimestre e disse que os custos mais altos se estenderão até 2020, enquanto busca explorar sua posição de liderança no mercado de redes 5G.

Depois de alguns anos ruins, a Ericsson foi impulsionada pela implantação das redes 5G, principalmente nos Estados Unidos. No entanto, a tecnologia também aumentou os custos.

A Ericsson optou por buscar clientes estrategicamente importantes para ganhar participação de mercado, apostando que diminuir as margens no curto prazo ajudará a gerar lucratividade no longo prazo.

O lucro operacional ajustado da Ericsson aumentou para 5,7 bilhões de coroas suecas (600,2 milhões de dólares), ante 2,6 bilhões de coroas no ano anterior, mas caíram de 7,4 bilhões no trimestre anterior. Analistas previam 6,9 bilhões de coroas suecas, de acordo com uma pesquisa da Refinitiv.

O presidente-executivo da empresa, Borje Ekholm, disse que a Ericsson estava no caminho de cumprir suas metas para 2020 de uma margem operacional ajustada de mais de 10% e vendas de 230 bilhões a 240 bilhões de coroas suecas.

A Ericsson está disputando com as rivais Nokia e Huawei para liderar a implantação de redes 5G, que devem hospedar funções críticas, desde veículos autônomos a redes elétricas inteligentes e comunicações militares.

O grupo de lobby da indústria de telecomunicações GSMA estima que as operadoras gastarão 1 trilhão de dólares no desenvolvimento de redes 5G até 2025, oferecendo uma enorme oportunidade para as principais fornecedoras.

(Reuters)