UE, principal destino do suco do País, importou 450 mil toneladas entre julho e dezembro - Crédito: Paulo Whitaker/Reuters

São Paulo – As exportações de suco de laranja do Brasil avançaram 26,6% no primeiro semestre da temporada 2019/20 (julho a dezembro) em comparação anual, diante de uma das maiores safras dos últimos tempos, informou ontem a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR).

Segundo a entidade, os embarques do produto (FCOJ Equivalente a 66º Brix) no período somaram 648.751 toneladas, embora o ritmo do crescimento tenha desacelerado em dezembro em relação ao mês anterior, quando o volume teve alta de 54% frente ao registrado no ciclo passado.

O faturamento nos seis primeiros meses da safra foi de US$ 1,104 bilhão, alta de 14% versus 2018/19.

De acordo com comunicado da CitrusBR, a grande safra de 2019/20 impulsiona a movimentação de estoques no Brasil por motivos comerciais (disponibilização do produto para venda) e técnicos (abertura de espaço nos tanques para o suco produzido nesta temporada).

“Como estamos nesse período de movimentação, ainda não é possível saber o que é realmente movimentação de estoques e o que pode ser demanda, portanto, vamos aguardar os próximos meses e ver como as exportações se comportam”, disse em nota o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto.

Em dezembro, o Fundecitrus estimou a safra de laranja 2019/20 do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro – principal área produtora do maior exportador global de suco de laranja – em 385,31 milhões de caixas de 40,8 kg, salto de 35% em relação à temporada anterior.

Destinos – Principal destino do suco de laranja do Brasil, a União Europeia importou 450.051 toneladas do produto entre julho e dezembro, avanço de 36% ante a safra anterior, informou a CitrusBR.

Já os embarques para os Estados Unidos, segundo maior destino, cresceram de forma mais modesta, com alta de 1%, para 112.004 toneladas, uma vez que os estoques norte-americanos estão nos maiores níveis dos últimos cinco anos, limitando as movimentações, completou a entidade.

Houve ainda disparada de 82% nas importações de suco de laranja brasileiro para a China no período, que somaram 26.868 toneladas. O faturamento cresceu 29%, segundo a CitrusBR, que destacou ainda que o governo chinês revisou, no final de dezembro, algumas taxas de importação, atendendo parcialmente pedidos da associação e do governo brasileiro.

“Vamos estudar os resultados práticos dessa nova tarifa, mas, de qualquer jeito, é uma excelente sinalização do governo chinês, que mostrou sensibilidade”, afirmou a CitrusBR. (Reuters)