COTAÇÃO DO DIA 22/01/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4780

VENDA: R$5,4790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5070

VENDA: R$5,6470

EURO

COMPRA: R$6,6088

VENDA: R$6,6101

OURO NY

U$1.853,68Pg�

OURO BM&F (g)

R$ (g)

BOVESPA

-0,80

POUPANÇA

0,1159%%

OFERECIMENTO

Mercantil do Brasil - ADS

INFORMAÇÕES DO DOLAR

livre Negócios Negócios-destaque
Página Inicial » livre » Flybondi inaugura rota entre SP e Argentina

Flybondi inaugura rota entre SP e Argentina

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Crédito: Divulgação

São Paulo – A companhia aérea low cost argentina Flybondi inaugurou ontem sua rota entre São Paulo e Buenos Aires. A empresa, que opera no Brasil desde outubro de 2019, vai começar a voar em ao menos mais duas cidades brasileiras até maio.

Em março, passará a ter voos também entre Porto Alegre e a capital da Argentina. Hoje, a aérea já opera voos para a capital argentina a partir de Rio de Janeiro e Florianópolis.

Em São Paulo, os voos da Flybondi sairão do aeroporto internacional de Guarulhos com destino ao aeroporto de El Palomar, a 18 quilômetros do centro de Buenos Aires.

Inicialmente, serão três voos semanais, às segundas, quartas e sextas-feiras, segundo o diretor comercial da empresa, Mauricio Sana Saldaña. A partir de março, serão quatro partidas por semana.

A companhia afirma que consegue praticar preços 30% inferiores à média do mercado brasileiro. Para isso, transporta em geral 189 passageiros por voo em seus aviões, o que, segundo Sana Saldaña, é 15% mais que a uma companhia aérea regular.

“A diferença entre as low cost é que diluímos os custos fixos. Colocamos a maior quantidade de assentos possível, e o preço por passageiro é reduzido. Além disso, nossos aviões voam em média 11 horas, contra 8 horas de uma companhia comum”, afirma.

Os processos de embarque e decolagem, por exemplo, são feitos em média em 30 minutos pela Flybondi, segundo o executivo.

“Percebemos que existe uma demanda brasileira [por voos para a argentina]. Com uma tarifa adequada, há interesse. Cerca de 20% das passagens da rota entre Rio e Buenos Aires são compradas no Brasil. Em São Paulo, 40%, e nossa meta é chegar a 50%”, diz.

Segundo Sana Saldaña, as operações brasileiras já representam 9% dos passageiros transportados hoje nas 24 rotas operadas pela companhia. Até o fim de 2020, a estimativa é que essa parcela chegue a 16%. A ocupação média dos voos brasileiros é de 85%.

Em Porto Alegre, serão três voos semanais, aos sábados, terças e quintas-feiras.

Em maio, a empresa pretende iniciar voos de outra cidade no País, e analisa opções cinco opções. Brasília, Belo Horizonte e Recife estão entre elas. Não está nos planos da marca fazer voos domésticos no Brasil em 2020.

O executivo afirma que a empresa, que tem hoje uma frota de cinco aviões Boeing 737-800 NG, tem um plano de expansão de rotas que depende de novos aviões.

“A ampliação da frota depende da realidade macroeconômica e da disponibilidade de equipamentos no mercado. Com os problemas do Boeing 737 MAX, a disponibilidade de aviões 373-800 diminuiu”, diz Sana Saldaña. (Folhapress)

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

VEJA TAMBÉM

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!

FIQUE POR DENTRO DE TUDO !

Não saia antes de se cadastrar e receber nosso conteúdo por e-mail diariamente