Crédito: Freepik

Diante da crise social e econômica instalada pela propagação do novo coronavírus em todo o mundo, as empresas precisam se posicionar.

Isso significa tomar medidas para a proteção de seus colaboradores e contenção da doença, mas também definir plano de contingência, soluções para eventuais perdas de produtividade dos profissionais em home office, paralisar turnos e plantas, rever metas e projetos.

Ou seja, as lideranças têm grandes desafios neste momento para resguardar tanto as pessoas quanto o negócio, o que exige dos gestores uma série de habilidades e diferenciais.

De acordo com o CEO headhunter da Prime Talent, David Braga, o cenário atual envolve competências como capacidade para tomada de decisão rapidamente, bem como resiliência e criatividade para traçar novos caminhos.

“É preciso cuidar dos colaboradores e evitar que o vírus se espalhe ainda mais rapidamente. Ter consciência para não subestimar o problema, mas avaliar as possibilidades de cada empresa. Como continuar a entregar bons resultados, sem prejuízo à saúde?”, argumenta.

Os líderes terão a difícil missão de responder esse e outros questionamentos. Por isso, Braga, que é especialista na busca e seleção de executivos de média e alta gestão, reforça a importância de os profissionais atuarem com um grande controle emocional e de persuasão, além de serem transparente e desenvolverem ações para garantir a boa comunicação de todos os novos processos com os colaboradores e clientes.