Nova divisão do Banco Safra vai buscar negócios em private equity
Estratégia do banco ocorre em momento de queda da taxa de juros - Crédito: Itaci Batista

São Paulo – O Banco Safra criou uma nova unidade para gerir investimentos proprietários alternativos. O Safra contratou Andre Laloni, ex-diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e ex-vice-presidente financeiro da Caixa Econômica Federal como chefe da nova divisão.

Duas fontes com conhecimento do assunto disseram que a divisão de investimentos alternativos proprietários buscará negócios no ramo de private equity e outros ativos ilíquidos, incluindo dívida e situações especiais. A nova divisão pode ter até dez funcionários.

Procurado, o banco confirmou por telefone a criação da unidade.

A mudança do Safra para ativos mais arriscados ocorre no momento em que a taxa de juros de referência do Brasil (Selic) atinge a mínima histórica de 4,25% ao ano e os investidores migram de títulos do governo para ações e outros ativos de maior retorno em busca de melhor rentabilidade.

O banqueiro libanês-brasileiro Joseph Safra, dono do Banco Safra no Brasil e do J. Safra Sarasin AG na Suíça, é a 31ª pessoa mais rica do mundo, com uma fortuna estimada em US$ 25,9 bilhões, segundo a revista Forbes.

Laloni se reportará a David Safra, o filho mais novo de Joseph. Alberto Safra, outro filho de Joseph, deixou o conselho de administração do Banco Safra, em outubro do ano passado, para trabalhar em um projeto pessoal separado, chamado de ASA Bank. (Reuters)