Sistema Sudeste da Vale obteve uma produção de 11,8 milhões de toneladas entre janeiro e março, o que representa uma queda de 39,8% no período | Crédito: REUTERS/Washington Alves

Rio de Janeiro – A mineradora Vale avalia que corre risco de enfrentar uma postergação da retomada de capacidade de produção devido a possíveis atrasos em inspeções, avaliações e autorizações decorrentes de impactos da atual pandemia do novo coronavírus, afirmou a companhia em apresentação divulgada ontem.

A empresa foi levada a paralisar diversas atividades depois do rompimento de uma de suas barragens de rejeitos em Brumadinho, em janeiro de 2019, e depende da conclusão de revisões de segurança e de aprovações de autoridades para retomá-las.

Em relatório de produção do quarto trimestre, divulgado em fevereiro, a companhia afirmou esperar retomar a capacidade de aproximadamente 40 milhões de toneladas por ano com as operações de Timbopeba, Fábrica e Complexo Vargem Grande, que passam por revisões de segurança.

Ontem, a empresa pontuou ainda que tem enfrentado a pandemia com impacto limitado em seus negócios, sem interrupções em operações brasileiras e em portos chineses.

“Até o momento, a Vale tem tido um desempenho relativamente bom, com impacto limitado na produção e nas vendas, mas o nosso ecossistema foi altamente impactado pelas restrições impostas pela pandemia do Covid-19, o que poderá afetar nossas operações”, ponderou a companhia, na apresentação.

Antes, a mineradora já havia informado alguns reflexos do vírus em seus negócios, como a paralisação temporária de um centro de distribuição na Malásia, de 24 a 31 de março, e a desaceleração da operação da mina de Voisey’s Bay, no Canadá, como precaução para proteger comunidades indígenas próximas diante da pandemia.

A empresa também havia comunicado diversas iniciativas para evitar o contágio da doença, incluindo a instituição de regime de trabalho remoto para funcionários de áreas administrativas.

Impactos globais – A mineradora também afirmou na apresentação de ontem que uma redução na produção de aço na Europa deverá afetar negativamente a demanda por minério de ferro.

Por outro lado, a Vale ponderou que cortes na oferta de minério de ferro devido a medidas de isolamento social adotadas por governos ao redor do mundo contra o vírus podem atenuar o impacto.

Cálculos da mineradora apontam para interrupção estimada de produção de minério de ferro no mercado transoceânico de cerca de 18 milhões de toneladas. (Reuters)