Crédito: Divulgação

Brasília – Os técnicos de campo do projeto Senar SuperAção Brumadinho iniciaram, neste mês, o acompanhamento técnico de 480 famílias rurais impactadas pelo rompimento de barragem na região, em Minas Gerais, há um ano.

Durante dois anos, serão realizadas ações gratuitas de Assistência Técnica e Gerencial, Formação Profissional Rural e Promoção Social para recuperação e melhoria da produção agropecuária local por profissionais de ciências agrárias.

O projeto envolve o Sistema CNA/Senar, a Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) e o Senar-MG com parceria do Ministério da Cidadania, Aliança Brumadinho.

Desde que foi lançado, em julho de 2019, o Senar SuperAção Brumadinho já passou por três etapas de trabalho, como o estudo individualizado de características sociais e potencial produtivo da região e das famílias envolvidas, viabilização das ações, e mobilização das famílias e capacitação dos técnicos na metodologia de Assistência Técnica e Gerencial do Senar.

Durante o mapeamento realizado pelo Senar no município foram identificadas propriedades que atuam nas áreas de avicultura, bovinocultura de leite e de corte, olericultura (produção de hortaliças) e fruticultura.

De acordo com a coordenadora nacional do projeto SuperAção Brumadinho no Senar, Luana Frossard, as circunstâncias pelas quais os produtores passaram e continuam enfrentando foram consideradas na elaboração do projeto.

“Os produtores receberão orientação técnica para maximizar as atividades da propriedade rural, utilizando os recursos disponíveis e não apenas focados em uma única atividade produtiva. Isso vai criar oportunidades para que eles tenham geração de renda e melhorem a qualidade de vida”, destacou Luana.

Para o coordenador do SuperAção Brumadinho do Senar-MG, Harrison Coelho, o projeto trará benefício para a população rural impactada direta e indiretamente pelo rompimento da barragem.

“Após o rompimento da barragem, foi notado certo número de empresas que tiveram interesse em apoiar a população do município. Por isso, outra vertente do projeto é orientar os produtores para que eles tenham oportunidade de comercializar seus produtos para demais instituições que compõem a Aliança por Brumadinho”, observou.

Rafael Campos produz hortaliças em uma área de 16 hectares em Brumadinho há quatro anos. Quando houve o rompimento da barragem, ficou sem energia elétrica e sem acesso à fazenda. “Perdemos cerca de 80% da produção porque não tínhamos como chegar ao local e nem energia para a irrigação”.

“Com tudo o que vivenciamos, estava difícil produzir, agora, com a ajuda técnica, teremos um amparo para recomeçar”, disse Rafael. (Com informações da CNA)