Projeto em Ouro Branco conta com 12 canteiros cultivados para abastecer os cinco restaurantes da usina da Gerdau - Crédito: Divulgação

O projeto de horta orgânica desenvolvido pela Sapore – maior empresa latino-americana no segmento de restaurantes corporativos –, no fim de 2019, na unidade da Gerdau em Ouro Branco, região Central, vai ganhar projeção nacional em 2020. Batizado como “da Horta para a Mesa”, o projeto atende 5 mil colaboradores da maior planta da Gerdau.

De acordo com a diretora de Operações da Sapore, Vanessa Veloso, a iniciativa da Sapore foi imediatamente abraçada pela unidade produtora de aço. Além de garantir uma alimentação mais saudável, o objetivo do projeto é também ajudar a diminuir custos relativos à alimentação e ter ganhos ambientais, como, por exemplo, a diminuição de lançamentos de CO2 na atmosfera com a redução do transporte rodoviário.

“É uma horta dentro da planta, da usina do cliente. Esse projeto foi criado para reduzir o desperdício e oferecer uma alimentação saudável, com produtos livres de resíduos químicos. Antes comprávamos de um produtor e tínhamos que fazer o transporte. Esse alimento perdia qualidade, tinha desperdício. A partir do momento que eu produzo organicamente ao lado do restaurante, consigo colher a hortaliça quase no momento que vai ser servida, então não tem perda. Utilizo o lixo orgânico pra fazer a compostagem e a chuva para a irrigação. É um processo mais natural e mais barato”, explica Vanessa Veloso.

Alface roxa e crespa, salsinha, manjericão, tomilho e alecrim, entre outras variedades, são produzidas no espaço. São doze canteiros, cuidadosamente cultivados, que já produzem 150 quilos de mudas que abastecem os cinco restaurantes da usina da Gerdau uma vez na semana. Essa é a primeira horta orgânica da Sapore, que já trabalhava com a técnica da hidroponia para outros clientes.

Multinacional – Fundada em 1992, a Sapore é a primeira multinacional genuinamente brasileira de restaurantes corporativos. Atualmente, atende mais de 1.300 restaurantes por todo o País, servindo mais de um milhão de refeições por dia.

“A Sapore está há quase 30 anos no mercado. Pensamos todo o tempo em como cuidar das pessoas, oferecer um produto mais saudável. Vamos expandir esse projeto para outros contratos. Temos cinco clientes em estudo e a implantação será ainda em 2020. O cliente precisa estar convicto das vantagens do sistema, com foi no caso da Gerdau. No início o projeto é um pouco mais caro, mas logo ganha escala. Serão mais 25 mil refeições alcançadas em diferentes lugares do Brasil, inclusive Minas”, destaca a diretora de Operações da Sapore.