Crédito: DIvulgação

O setor hoteleiro tem sofrido com a proliferação do coronavírus (Covid-19) que está assolando diversos países no mundo. Em Minas Gerais, os severos efeitos da pandemia têm impactado a economia dos empreendimentos que já registram cancelamentos de mais de 70% das reservas, repercutindo na empregabilidade do setor.

Diante desta realidade, a Associação Brasileira de Indústria de Hotéis de Minas Gerais (Abih-MG) adota um posicionamento ativo diante de todos os reveses que vêm abatendo à indústria hoteleira desde 2014 e que agora se agrava com estado de pandemia e a proibição de eventos, viagens e realização de quarentenas; mantendo contato direto com o gabinete de crise dos governos para pleitear a sustentabilidade da rede hoteleira no estado, que é um dos primeiros segmentos a sofrer com a drástica redução da atividade econômica.

A entidade lança ainda, em Belo Horizonte, a campanha “Turista, não cancele. Remarque! – O turismo precisa de você para vencer esse desafio” para minimizar o aumento nos cancelamentos e reduzir os prejuízos.

De acordo com o presidente da Abih-MG, Guilherme Sanson, as ações imediatas para equilibrar a situação seriam a redução do ISS, isenção do IPTU até março de 2021 e ICMS, e que o mesmo seja desmembrado das contas de energia elétrica, telefonia, água, esgoto e gás, sendo diferido seu pagamento para pelo menos seis meses, garantindo ainda a possibilidade de futuro parcelamento.

“Precisamos de um alívio financeiro com a prorrogação de impostos municipais, estaduais e federais. Isso ajudaria o setor a passar por essa fase sem que haja o fechamento de hotéis, empresas voltadas para eventos e companhias aéreas, por exemplo”, afirma.

Em relação ao aumento significativo do cancelamento das reservas, Sanson explica que “este é o resultado direto do fechamento de museus, parques, feiras, aeroportos, além dos cancelamentos dos eventos na cidade de Belo Horizonte e no Estado de Minas Gerais. Sabemos que são ações momentâneas, mas o fechamento e cancelamento desses players turísticos gera uma queda grande para o setor. Por isso estamos lançando aqui na capital a campanha ‘Turista, não cancele. Remarque! O turismo precisa de você para vencer esse desafio, um projeto extremamente importante para que, com a ajuda dos hóspedes, possamos passar este momento delicado da melhor forma possível’”, diz.

A iniciativa propõe a união de todos os empreendimentos do segmento para um movimento em prol da diminuição de cancelamentos e do reflexo econômico no setor.

Sanson esclarece ainda que a orientação da Abih-MG para o trade é flexibilizar o remanejamento das reservas, especialmente as que foram pré-pagas, mas que tinham condições restritivas, e o bom senso para negociar uma oferta e a condução de uma política de cancelamento satisfatória, evitando impacto jurídico entre hóspedes, hotéis e já possibilitando uma melhora na ocupação e nos negócios no futuro próximo, facilitando o planejamento estratégico. (Da Redação)