Super Nosso inicia venda de papel higiênico sustentável
Fabricado pela Copapa, produto foi o primeiro a receber o rótulo ecológico ABNT Ambiental - Crédito: Divulgação

Com foco na sustentabilidade e apostando em uma consciência cada vez mais green, o  Grupo Super Nosso será a primeira rede de supermercados de Minas Gerais a comercializar o novo Carinho Eco Green – primeiro papel higiênico do Brasil sustentável em todo o seu ciclo de vida.

Fabricado pela Copapa, empresa de Santo Antônio de Pádua, interior do estado do Rio, o produto foi o primeiro a receber o rótulo ecológico ABNT Ambiental. Isso garante que o papel higiênico é sustentável na extração, produção, distribuição e descarte.

“A sustentabilidade sempre esteve no foco Super Nosso e estamos 100% atentos às tendências mundiais. Sabemos que hoje o nível de poluição do meio ambiente causada por esse tipo de produto é alarmante. A Copapa é grande parceira do SN e estamos felizes por termos sido escolhidos para sermos os primeiros a lançar o Carinho Eco Green em Minas”, comenta o vice-presidente do grupo, Rodolfo Kayser Nejm.

Hoje, no Brasil, ser sustentável não é somente parte de um discurso e sim, fator importante para a decisão de compra. A consciência sustentável com o meio-ambiente já ocupa o terceiro lugar na lista de preocupações para mais de 40% da população. Os produtos ecologicamente corretos estão cada vez mais presentes no dia a dia das famílias brasileiras, e, em um ritmo de crescimento que está longe de desacelerar

De acordo com dados da Word Wildlife Fund (WWF – ONG internacional que tem como objetivo conservar, investigar e recuperar o meio ambiente), o papel higiênico comum é responsável por forte impacto ambiental. Todos os dias, cerca de 270 mil árvores são encaminhadas para aterros sanitários e lixões em forma de papel de limpeza. Desse total, 10% é formado por papel higiênico, o que representa, em média, 27 mil árvores desmatadas.

Levando em conta que o número de consumidores conscientes saltou em relação aos demais anos, mas que também o quesito preço ainda pesa muito no momento da compra, a marca terá preço e qualidade compatíveis com os papéis higiênicos da categoria premium. O carinho Eco Green tem folha dupla classe 1 e produzido a partir de celulose 100% virgem, o que garante maciez e conforto no toque.

“Sabemos que o modelo de produção industrial que nos trouxe até aqui está em colapso. Para continuarmos existindo e sendo relevantes para a sociedade, precisamos adotar práticas inovadoras e sustentáveis em todo o ciclo de vida do produto, desde a captação dos recursos naturais, passando pela produção, consumo e o pós-consumo, destaca o diretor-presidente da Copapa, Fernando Pinheiro. Ele diz que, há cerca 10 de anos, teve acesso a um papel higiênico europeu que garantia a sustentabilidade em apenas uma dessas etapas. “Desde então, trabalhamos incansavelmente para ir além e lançar um produto sustentável em todas as etapas. Assim, avançamos com Carinho Eco Green, um produto que respeita o meio ambiente do começo ao fim, em todas as etapas do seu ciclo de vida”, afirma Pinheiro.

Produção com responsabilidade – Na extração de recursos, a celulose usada para produzir o Carinho Eco Green é 100% virgem e certificada pela FSC® (Forest Stewardship Council), uma organização internacional independente, não-governamental, sem fins lucrativos, criada para promover o manejo florestal responsável ao redor do mundo. O selo FSC® garante que a celulose é proveniente de florestas plantadas, extraída em conformidade com as leis ambientais internacionais, sem desmatamento de matas virgens, com respeito ao ecossistema e garantia da preservação da floresta para as futuras gerações.

A produção do Carinho Eco Green é feita com produtos químicos de baixo impacto ambiental. Não leva alvejantes adicionais em sua composição, ao contrário do que a maioria das marcas do segmento faz para deixar o papel ainda mais branco. A Copapa pratica reuso de água no processo produtivo, e emite cerca de 25% menos de toneladas de carbono equivalente em seu processo de fabricação, em comparação à fabricação de um produto de qualidade similar. Além disso, todo carbono emitido na fabricação é neutralizado com plantio de árvores, realizado em parceria com a ONG SOS Mata Atlântica. A marca é certificada pelo selo Prima neutro em carbono.

Na distribuição, também é neutralizado toda emissão de carbono da logística com plantio de árvores, em parceria com a ONG SOS Mata Atlântica. Além disso, tem a meta de substituir combustível fóssil por energia renovável na distribuição. No prazo de três anos, além de adotar empilhadeiras elétricas em seus processos, a companhia substituirá a frota atual para transporte rodoviário por veículos híbridos ou 100% elétricos.

No descarte, o Carinho Eco Green inova ao embalar o produto com plástico feito com polímero compostável, feito à base de milho. Se descartado com resíduos orgânicos em plantas de compostagem, em até 180 dias o material vira adubo. O tubete do rolo é feito com cola à base de fécula de mandioca e sem utilização de químicos que poluem, por isso também pode ser compostado.

Já o plástico que embala os fardos que chegam aos pontos de venda são feitos com matéria-prima renovável (cana-de-açúcar) e são destinados à reciclagem por meio de logística reversa. Para garantir a reciclagem do mesmo volume de plástico que utilizou, se necessário, a empresa destina o equivalente à Cooperativa de Catadores de Santo Antônio de Pádua. A Copapa também participa do programa de logística reversa em parceria com o programa de geração de renda “Dê a mão para o futuro”, da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). (Da Redação)