Crédito: REUTERS/Sergio Moraes

Rio de Janeiro – As vendas de diesel pelas distribuidoras de combustíveis no Brasil subiram 3% em 2019 ante o ano anterior, para 57,3 bilhões de litros, em seu quarto avanço anual seguido, em meio a um aumento de fluxo de veículos nas estradas, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Já em dezembro, as vendas de diesel somaram 4,3 bilhões de litros, uma mínima mensal no ano, com queda de 2,76% ante o mesmo mês de 2018 e um recuo de 10,86% em relação a novembro.

As vendas de etanol hidratado em dezembro registraram 2,14 bilhões de litros, alta de 4% em relação ao mesmo período de 2018 e avanço de 7,86% ante novembro.

As vendas de gasolina C, por sua vez, caíram 0,49% no ano passado, ante o ano anterior, para 38,2 bilhões de litros, enquanto as de etanol hidratado -seu concorrente nas bombas- tiveram expansão de 16,30%, para 22,5 bilhões de litros.

Já as vendas de gasolina C em dezembro somaram 3,6 bilhões de litros, alta de 3,09% na comparação com o mesmo mês de 2018 e avanço de 10,66% em relação a novembro.

“É importante ressaltar que a relação de preços médios entre etanol hidratado e gasolina C se manteve abaixo de 70% durante todo o ano de 2019, dando continuidade à vantagem competitiva do etanol hidratado iniciada em abril de 2018”, afirmou a ANP.

No acumulado de 2019, a importação do País somou 13 bilhões de litros do combustível –neste caso, sem a adição de biodiesel–, alta de 11,66% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Considerando todos os combustíveis, o consumo no Brasil em 2019 somou 140,1 bilhões de litros, alta de 2,92% em relação ao ano anterior.

Recorde

A União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) destacou em nota nesta terça-feira (4) um recorde histórico de consumo de etanol no Brasil em 2019, da ordem de 32,8 bilhões de litros (considerando hidratado e anidro), registrando alta de 10,5% em relação a 2018.

“Esses números colocam o Brasil na dianteira da sustentabilidade, uma vez que o etanol de cana emite 90% menos gases causadores de efeito estufa (GEE) em comparação a gasolina, sendo um dos maiores mercados consumidores de combustíveis renováveis do mundo”, afirmou a Unica.

A manutenção de um contexto externo favorável para ampliação das vendas de biocombustível possibilitou ao Brasil consumir 2,74 bilhões de litros de etanol a cada 30 dias durante o último ano -a maior média de vendas mensais já registrada em toda série histórica, disse a Unica.

“Por consequência, a participação do etanol (hidratado e anidro) na matriz de combustíveis utilizados pela frota de veículos de passeio e de carga leve (Ciclo Otto – em gasolina equivalente) atingiu 48,3%, a maior desde 2009 no Brasil”, segundo a entidade dos produtores do centro-sul.

(Reuters)