22/07/2018
Login
Entrar




Negócios

16/12/2014

Facebook é nova arma para atrair e fidelizar clientes

Empresas precisam aprender a utilizar corretamente a ferramenta
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
O Andante já conquistou cerca de 8 mil seguidores/Reprodução / Internet
Muito mais que um perfil na internet, a presença no Facebook tem se mostrado uma potente arma para a atração e fidelização de clientes. Convencidos de que a rede social pode aproximar sua marca do público, empresários dos mais diferentes segmentos embarcaram nessa plataforma. Mas para colher frutos da rede social não basta apenas uma logomarca bonita, é preciso estratégias bem planejadas e publicações que vão além da propaganda institucional.

De acordo com o CEO da agência publicitária Isso é.com, Alex Villaverde, o Facebook é uma das principais redes onde as pessoas se conectam hoje, o que não dá muitas alternativas ao empresário: ele tem que estar lá. O CEO afirma que ainda há organizações que temem a exposição da marca em uma rede aberta, onde qualquer um pode comentar ou reclamar. Mas ele destaca que essa é uma lógica equivocada. "Se um internauta reclamar, o empresário só precisa respondê-lo e trabalhar para melhorar.  melhor ter esse retorno pela internet do que não saber onde estão os problemas de sua marca", destaca.

Ele explica que a rede social pode ser usada tanto para relacionamento com o cliente quanto para venda. Nesse último caso, a conexão é mais fácil para as empresas que têm e-commerce. O CEO destaca que o Facebook também é uma ferramenta muito rica para marketing, pois permite a segmentação do público, o que evita o desgaste da marca com consumidores que não têm interesse naquele determinado produto. " uma mídia mais inteligente, pois limita a exibição somente a quem está interessado, sem incomodar os demais", diz.

Villaverde afirma que, antes de construir um perfil na rede social, o empresário precisa definir qual é o seu objetivo com essa mídia. Ele destaca que uma página que só tem a logomarca da empresa, mas não gera conteúdo para os seus seguidores, produz propaganda negativa para a organização. "Não é só porque o Facebook está na moda que a empresa deve entrar. Ela tem que saber o que quer ali, seja vender, comunicar ou gerar conteúdo relevante", alerta.

Definido o objetivo, o próximo passo, segundo o CEO, é produzir conteúdo. Mas ele frisa que a marca não pode se limitar a publicar propagandas, pois isso torna seu perfil cansativo e não desperta interesse no seguidor. A ideia é gerar informação de qualidade como dicas e curiosidades que tenham a ver com o setor em que a empresa está inserida. "O ideal é que a cada sete postagens de conteúdo relevante a empresa publique três propagandas de seus produtos ou serviços", diz.

Por fim, Villaverde destaca a importância de o empresário analisar a movimentação de seu perfil. Ele explica que o processo é parecido com o lançamento de um protótipo no mercado: é preciso sentir como os consumidores estão recebendo e fazer adaptações de acordo com a reação. Ele afirma que o empresário deve avaliar se os seguidores estão curtindo ou compartilhando as publicações e qual o alcance do conteúdo publicado. " como vender: a empresa percebe o que o público quer e vai direcionando a sua atuação", afirma.

O Andante ganha fãs e aumenta as vendas

A produtora mineira de cachaça O Andante é um exemplo de marca que tem conseguido bons resultados com o Facebook. O sócio Magno Carmo Neto afirma que a empresa está na mídia social desde que foi fundada, há três anos, e o principal objetivo é a interação com os clientes. Atualmente, a marca tem mais de 8 mil seguidores e registra cerca de 4 mil a 5 mil curtidas por semana em suas publicações. De acordo com Carmo Neto, além de fortalecer a marca, a rede social gera vendas para a empresa: cerca de 10% a 15% das compras no e-commerce são de clientes que vieram pelo Facebook.

Segundo o sócio, as publicações da O Andante normalmente são bem humoradas e fazem alusão ao lazer e ao prazer de tomar cachaça. Além disso, a página traz sugestões e receitas de drinks que podem ser feitos a partir da cachaça, conteúdo que normalmente gera muitas curtidas. A marca também usa o espaço para divulgar lançamentos, novidades, promoções e outras informações sobre o universo da cachaça que possam interessar os seguidores.

"A ideia é não saturar o consumidor com um assunto só, senão fica enfadonho e ele perde o interesse por nossa página", afirma o sócio. Ele afirma que a empresa desenvolveu um e-book com receitas de 69 drinks feitos com cachaça, que pode ser baixado na rede social. Além disso, a página tem botões que direcionam o internauta para o e-commerce da marca. A expectativa do sócio é chegar ao fim de 2015 com 20 mil seguidores.

Localizada no bairro Sion, na região Centro-Sul da Capital, a agência de intercâmbios World Study também investe na rede social com o intuito de se relacionar com seu público-alvo. A empresa existe há 16 anos em Belo Horizonte e está presente no Facebook há cerca de três anos. O diretor Paulo Silva afirma que inicialmente a marca usava pouco o espaço, publicando apenas conteúdos sobre o segmento. Mas, há seis meses, ele resolveu investir mais na ferramenta, usando-a também como um canal de promoções e descontos.

"Continuamos fazendo posts com conteúdos sobre o segmento, como fotos dos viajantes e dicas de destinos. Mas agora também estamos lançando ofertas com descontos, benefícios para os seguidores e diversas promoções", diz. Silva afirma que a empresa investe R$ 9 mil mensais na ferramenta, tanto com o pagamento da agência que administra a rede quanto com anúncios na plataforma. Ele não tem dúvida de que o aporte é compensatório. "Cerca de 8% a 11% do acesso no nosso site vêm do Facebook, mas o benefício não tem a ver apenas com a venda. A rede social ajuda muito na exposição da marca, o que gera valor agregado para a empresa", analisa.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/07/2018
CasaCor Minas começa em agosto
Edição deve atrair cerca de 50 mil pessoas até setembro e gerar 550 novos negócios
21/07/2018
Empresas usam redes como ferramenta de gestão
Nos últimos três anos, os pequenos negócios no Brasil apostaram na informatização e na utilização de novas ferramentas digitais, em especial nas...
21/07/2018
Profissionais precisam reagir com ânimo à crise
O cenário político e econômico atual faz com que instabilidade tome conta nas empresas. O resultado disso são as várias demissões que ocorrem, deixando um...
21/07/2018
IDEIAS | A melhor forma para se tornar uma empresa inovadora
O mundo está cada vez mais dinâmico e os consumidores mais empoderados. Por isso, inovar é o caminho natural das empresas, que precisam estar em constante...
21/07/2018
Funcionários não conseguem se desligar do trabalho durante as férias
Manter completa distância do trabalho durante o período de férias talvez seja coisa do passado. De acordo com uma pesquisa da Robert Half realizada em maio de 2018, com base...
› últimas notícias
Exportações de soja devem ser recorde no próximo ano
Renovação da concessão da EFVM pode ser resolvida na Justiça
Pessimismo aumenta na indústria mineira
Minas mantém sequência de superávit
Brasil fecha 661 vagas com carteira assinada
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.