O Lean Concept é um modelo mais leve, o diagnóstico é feito individualmente, diz Lyana Bittencourt - Crédito: Rafael Neddermeyer/ Criadores de Imagens

A crise econômica atravessada pelo Brasil desde 2014 fez com que a era das instalações luxuosas e estruturas grandiosas chegassem ao fim. A necessidade de enxugamento das operações com processos mais assertivos, maior produtividade e novos modelos de negócios que gerassem oportunidades em mercados antes menos ou pouco prováveis, fez com que empresas se modernizassem e promovessem verdadeiras transformações em suas culturas internas.

A verdade, porém, é que muitas ainda precisam se atentar para essa realidade. Há mais de 30 anos prestando consultoria para franqueadoras, indústrias e varejo, o Grupo Bittencourt lançou um modelo de expansão de negócios batizado Lean Concept. Esse modelo funciona a partir da detecção das necessidades de modernização das operações, agilidade na tomada de decisões, renovação do layout de lojas, inserção de tecnologia e ingresso em novos mercados.

De acordo com a diretora-executiva do Grupo Bittencourt, Lyana Bittencourt, antes da crise as empresas investiram em uma expectativa de alto faturamento que não se concretizou mais a partir de 2014.

“Muitas operações cresceram pesadas e menos eficientes do que precisam para este momento que vivemos atualmente. O Lean Concept responde como posso ser mais efetivo. Quais aspectos podem ser modernizados, como a arquitetura, a estrutura organizacional e o estoque podem ser otimizados, por exemplo. E essas soluções estão bastante ligadas ao uso correto da tecnologia”, explica Lyana Bittencourt.

A modernização da estrutura pode ajudar em dois processos importantes que o franchising brasileiro vem vivendo nos últimos anos: a interiorização dos negócios e, ao mesmo tempo, a internacionalização das marcas.

Para alcançar as cidades médias e também as pequenas que funcionam como polos regionais, as franqueadoras têm oferecido operações menores, que demandam menos espaço e menores investimentos. A criação de novos shopping centers acelerada no início da década em cidades com menos de 10 mil habitantes – impulsionada pela interiorização da economia como um todo e pelo sucesso do agronegócio em várias regiões do País, em especial – abriu novas fronteiras para o setor de franquias.

De outro lado, para suportar o mau desempenho da economia nacional a partir do pós-Copa do Mundo de 2014, muitas marcas optaram por buscar oportunidades fora do Brasil. Mas para que a estratégia dê certo, a operação precisa estar bastante ajustada.

“O Lean Concept é um modelo mais leve. O diagnóstico é feito individualmente. Vamos olhar a nossa operação no ponto de venda onde é possível melhorar. A história de cada marca é diferente, então é melhor quando franqueador e franqueado passam pelo Lean Concept junto. E ele serve pra qualquer porte de empresa, esteja ela começando ou já consolidada”, completa da diretora do Grupo Bittencourt.