A educação híbrida é a melhor opção atualmente

Por Geneviève Poulingue

Crédito: Freepik

A polêmica acerca do melhor momento e modo de voltar às aulas presenciais na pandemia é justificável. Vivemos um momento delicado, pois nossas rotinas educacionais se tornaram de algum modo ameaça a toda a comunidade escolar. Pensar a educação por meio do digital tem sido tarefa de todos os educadores mesmo antes do coronavírus.

Crédito: Pexels

Mas, de fato, o que é a educação híbrida e como ela interfere na experiência educacional de professores, pais e alunos? Não são apenas atividades presenciais alternadas por outras em formato digital. É, em sua concepção, um programa planejado para oferecer ao aluno elementos para apreender a vida também digitalmente, já que nosso dia a dia é mediado pela tecnologia.

Crédito: Pexels

E difere do ensino formal e daquela totalmente remoto pois carrega em sua estruturação uma gama de potencialidades a serem desenvolvidas pelos estudantes. Ao conduzir o aluno a fazer atividades com menor supervisão, como aulas assíncronas, por exemplo, coloca o aprendiz como sujeito mais ativo de sua aprendizagem.

Crédito: Freepik

No caso das crianças menores, tal modelo implica maior participação dos pais já que via de regra os filhos precisam ser monitorados para fazer parte de suas tarefas. Como educadora, pesquisadora e mãe sinto alguma apreensão social em relação à eficácia e/ou limitações do ensino híbrido.

Crédito: Fabio Alves

Crédito: Freepik

Leia mais no  site do DC