Com vida útil estimada em 25 anos, as placas solares propiciam um retorno rápido do investimento para o cliente, que pode ocorrer entre 3 e 5 anos | Crédito: Divulgação/Curral de Minas

A busca por melhor eficiência no processo produtivo da agricultura e da pecuária tem incentivado os investimentos em energia solar. Além de ser uma energia limpa, a economia com a conta de luz pode variar entre 80% até 99% do valor pago antes da instalação do sistema. Outra vantagem é que as placas solares têm vida útil em torno de 25 anos, o que faz com que o retorno do investimento seja rápido, cerca de 3 a 5 anos, e os benefícios podem ser explorados por um longo período.

De acordo com o sócio da SolarVolt Energia, Gabriel Guimarães, a empresa, que tem sede em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), tem no setor do agronegócio um dos maiores players em número de projetos, e a demanda tende a se manter em crescimento.

“O produtor rural viu que a energia é um dos principais custos na operação. O investimento em energia solar é uma opção para melhorar a produtividade dos negócios e reduzir os custos, o que ele já faz de maneira recorrente. Os produtores de médio a grande portes já estão acostumados a buscar financiamentos optando por linhas de crédito voltadas para investimentos que promovam melhorias, e a energia solar tem se tornado um dos aportes prioritários”, explica.

Ainda segundo Guimarães, a demanda pelos projetos de geração de energia vem de segmentos variados do agronegócio, incluindo laticínios, fazendas de leite, café, gado de corte, soja, milho e grandes produtores de hortifrútis.

“A demanda do setor agropecuário vem crescendo exponencialmente nos últimos anos. Isso porque a energia tem ficado cada vez mais cara para o produtor. Além disso, existem projetos de lei que visam a retirar os subsídios que os produtores têm na conta. Por isso, a tendência, no médio prazo, é de que a conta de luz suba acima da média e ainda existem os reajustes anuais de tarifa. Desta forma, a estimativa é de que o setor invista cada vez mais na energia solar, que, além de ser mais sustentável, é mais barata”, avalia.

Retorno – Em média, o retorno do investimento na implantação do sistema ocorre entre 3 e 5 anos, dependendo do tipo de instalação e do local onde for implantado. Em relação à economia, a redução nos valores da conta de luz pode variar de 80% a 99%, dependendo do projeto.

Guimarães destaca que o momento é interessante para que os produtores rurais invistam na geração de energia. Além dos juros baixos, existem linhas de crédito específicas para este tipo de aporte, com juros baixos e tempo hábil para pagamento.

“Normalmente, a parcela de financiamento dos projetos fica menor que o valor que o produtor pagava de conta de luz. A economia é imediata, e a opção de financiar permite que o produtor preserve o caixa”, completa.

Curral de Minas instala três usinas

Os resultados gerados com a instalação das usinas solares têm agradado os produtores rurais. O proprietário do Grupo Curral de Minas, Ramiz Ribeiro Junqueira, investiu R$ 2 milhões para a instalação de três usinas.

Ele explica que os projetos foram implantados em uma fazenda de café, uma fazenda de leite e na indústria Laticínios Curral de Minas, todos em Oliveira.

“Desde a instalação, estamos registrando resultados positivos. A economia gerada em um ano, que completaremos este mês, será de R$ 450 mil. Ao todo, investi R$ 2 milhões e a estimativa é recuperar este valor em 4 a 5 anos”, disse.

Ainda segundo Ramiz, o investimento foi bom, já que a estimativa é de que as placas durarão em média 25 anos. Com os custos com a instalação se pagando em cinco anos, ainda sobra um grande período de benefício.

“O investimento foi importante uma vez que a energia era um dos principais gastos das propriedades. A redução de gastos é essencial para qualquer atividade produtiva”, disse Ribeiro.