Cafeicultura em Minas não apresenta evidências de desmatamento

Estudo realizado no Estado revelou que não há registros de desmatamento na produção do grão desde julho de 2008

18 de maio de 2023 às 15h12

img
Expocafé 2023 teve início nessa quarta-feira em Minas | Créditos: Gil Leonardi / Imprensa MG

Mais de 99% das propriedades produtoras de café em Minas Gerais não apresentam evidências de desmatamento. É o que destaca o desempenho de sustentabilidade da cafeicultura em Minas, apresentado pelo vice-governador, Professor Mateus Simões, nessa quarta-feira. A apresentação ocorreu durante a abertura da Expocafé 2023, no município de Três Pontas, Sul de Minas.

Os dados podem ser acessados na plataforma SeloVerde-MG, desenvolvida pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O espaço resulta de parceria via Acordo de Cooperação Técnica com o Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Com as informações do banco de dados foi possível analisar a situação das propriedades em relação à sustentabilidade da produção cafeeira no Estado. O estudo revelou, portanto, que não há registros de desmatamento desde 22 de julho de 2008. O período, aliás, corresponde à data limite estabelecida pelo Código Florestal para autuações de infrações ambientais.

O vice-governador do Estado celebrou o fato de Minas ser tanto o principal produtor de café do mundo, com 20% da produção mundial, quanto um produtor sustentável. “Além de termos a certeza de que mais de 99% da cultura cafeeira não apresentam evidências de desmatamento, Minas Gerais tem mais de 300 mil hectares excedentes em área de preservação nas fazendas de café. Isso é motivo de muito orgulho”, comemorou.

Já o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Thales Fernandes, reforça, principalmente, a necessidade de divulgar os resultados da sustentabilidade da cafeicultura mineira para o mundo. “O mundo precisa saber que nosso café é sustentável porque nós temos um café realmente verde. Isso deve fortalecer ainda mais as exportações”, afirmou.

Certifica Minas Café

Outro destaque da abertura da Expocafé foi a entrega do selo de certificação a sete cafeicultores e uma cooperativa, por meio do programa estadual Certifica Minas Café. O governo estadual busca, aliás, estimular a adoção de boas práticas na produção de café, além de trabalhar melhorias na produtividade e na qualidade do grão.

A Secretaria de Agricultura coordena o programa. Já a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) são responsáveis pela sua execução. Ele também é o primeiro selo de certificação de propriedades cafeeiras no Brasil emitido por uma instituição governamental.

O café em Minas

O café é cultivado em 451 municípios mineiros, ocupando área de 1,3 milhão de hectares. Em 2022, a produção do Estado foi de 22 milhões de sacas, representando 43% da safra nacional. Para 2023, a estimativa é de 27,5 milhões de sacas, totalizando 50% da safra nacional.

Icone whatsapp

O Diário do Comércio está no WhatsApp.
Clique aqui e receba os principais conteúdos!

Tags:
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail