Mais seis mercados para agro do País

São dois mercados para Colômbia e quatro para o Japão

29 de novembro de 2023 às 0h15

img
Colômbia abriu mercado para farinha para alimentação animal | Crédito: Divulgação/Mapa

Mais seis novos mercados para o agronegócio brasileiro – sendo dois mercados para Colômbia e quatro para o Japão – foram abertos recentemente. O anúncio foi feito pelo secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura e Pecuária, Roberto Perosa, durante um encontro com a imprensa do setor na manhã de ontem (28).

Com a Colômbia, foram abertos mercados para farinha e óleo de peixe destinados à alimentação animal provenientes do Brasil. A certificação fitossanitária foi encaminhada anteontem (27) ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) pelo Instituto Agropecuário Colombiano (ICA).

O país andino é o terceiro maior mercado para farinha de origem animal exportada pelo Brasil. De acordo com o Departamento Administrativo Nacional de Estatística da Colômbia (Dane), em 2023, estima-se que 67% dos lares colombianos tenham ao menos um animal de estimação.

O Brasil é o principal exportador de farinha e óleo de peixe para a Colômbia, atingindo 60% do segmento pet food no país. Estima-se que, neste ano, os gastos com alimentos, brinquedos e roupas para animais de estimação na Colômbia cheguem a US$ 5 bilhões.

Já para o Japão, as aberturas são referentes às carnes enlatadas bovina e suína e de extratos de carne bovina e suína. Este mercado estava suspenso pelos japoneses há oito anos. Com as habilitações, a expectativa é da plena retomada gradativa das exportações já em 2024.

Para o secretário, Roberto Perosa, os novos mercados não só implicam em renda e emprego, mas também em melhor qualidade de vida e no aprimoramento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da população. “Com essas novas aberturas de mercado, estamos capacitando o Brasil para uma revolução no campo. Nos próximos dez anos, o governo federal pretende estimular aos produtores para que produzam ainda mais, o que resultará em mais empregos, renda e um aumento na contribuição do agronegócio para o Produto Interno Bruto (PIB) nacional”, ressaltou.

Ao todo, desde o início de 2023, os produtos agropecuários brasileiros, com uma pauta diversificada das exportações, já conquistaram a abertura de 71 mercados nas Américas, Ásia, África, Oceania e Europa.

Comércio internacional

Entre janeiro e outubro deste ano, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 139,58 bilhões, cifra recorde para os dez primeiros meses do ano. Uma evolução de 3,0% no comparativo com o mesmo período em 2022.

Os setores que mais contribuíram para o crescimento nas exportações do agro do País foram os seguintes: complexo soja (+US$ 4,37 bilhões); complexo sucroalcooleiro (+US$ 3,03 bilhões); cereais, farinhas e preparações (+US$ 1,82 bilhão).

A Ásia foi o principal destino do agronegócio brasileiro no período com US$ 74,60 bilhões, seguida pela União Europeia, cujo montante alcançou US$ 18,43 bilhões.

A China se mantém em destaque entre os países de destino do agro brasileiro com US$ 51,10 bilhões em exportações.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail