Banco Inter libera R$ 550 mi em crédito

28 de abril de 2020 às 0h12

img
Crédito: Charles Silva Duarte/Arquivo DC

O Banco Inter vai destinar R$ 250 milhões a correntistas Pessoa Jurídica (PJ) que desejam antecipar recebíveis relacionados a vendas no cartão de crédito. A operação não terá custo e, para ter acesso à linha de crédito, basta fazer a solicitação de análise pelo Internet Banking.

A iniciativa faz parte de uma série de medidas que o banco tem adotado para apoiar correntistas e empreendedores afetados pela pandemia do novo coronavírus.

“Desejamos ser cada vez mais parceiros dos empreendedores e oferecer soluções que apoiem quem gera empregos e movimenta a economia do País, especialmente nesse momento sensível”, diz Marco Túlio Guimarães, vice-presidente comercial do Banco Inter. “Ao zerar o custo desta operação, damos um importante apoio para que varejistas e comerciantes – mais impactados nessa situação de pandemia – possam continuar funcionando e mantendo seus postos de trabalho”, completa.

O benefício de taxa zero é válido para clientes com empresas abertas há pelo menos um ano, para vendas com prazo de até 90 dias. O empresário que precisar de um prazo maior pagará taxa de 1% ao mês, por até 36 meses. Correntistas que não recebem as vendas de cartão de crédito ou débito em sua conta no Banco Inter podem solicitar à credenciadora a mudança de domicílio da maquininha. Empresas que ainda não têm conta PJ no Banco Inter podem solicitar a abertura, que é 100% on-line, pelo site.

Juntos pelo varejo – Outro importante apoio aos empreendedores neste momento é a parceria entre Banco Inter e brMalls na oferta de uma linha de crédito de até R$ 300 milhões para pequenos e médios varejistas que atuam em todos os 26 shoppings administrados pela empresa.

As linhas de crédito serão disponibilizadas diretamente no Super App, site do banco ou através dos consultores comerciais e terão prazos que variam de seis meses a 20 anos, com taxa de juros a partir de 1% ao mês. Além disso, não haverá cobrança de IOF para os contratos fechados entre abril e maio.

Os empresários poderão usar imóveis comerciais ou residenciais, ainda financiados ou quitados, como garantia para a operação. Após o envio da documentação completa, o dinheiro será disponibilizado diretamente na conta do empreendedor. Se o registro do imóvel se der de forma eletrônica, a liberação do financiamento pode acontecer em sete dias. (Da Redação)

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail