Anglo American vai investir R$ 1,3 bi no sistema Minas-Rio

13 de setembro de 2022 às 0h29

img
Crédito: Divulgação

A Anglo American vai investir R$ 6,6 bilhões para elevar a produção da empresa no Brasil. Em 2022, a estimativa é que o volume fique entre 22 milhões e 24 milhões de toneladas de minério de ferro, montante que, com os aportes, será ampliado para 30 milhões de toneladas. Somente em 2022, serão cerca de R$ 1,29 bilhão aplicados na continuidade operacional do sistema Minas-Rio, em Conceição do Mato Dentro, no Médio Espinhaço.

O presidente da Anglo American no Brasil, Wilfred Bruijn, explica que os investimentos projetados pela empresa têm o objetivo de elevar a produção anual de minério de ferro para 30 milhões ao ano até 2030.  

“Nossa expectativa é chegar em 30 milhões de toneladas de minério de ferro ao ano. A gente tem alguns investimentos em curso, outros concluídos e outros que ainda virão para nos dar a segurança de podermos entregar esse volume de produção”.

Ainda segundo o presidente da companhia no Brasil, a  expectativa é de chegar ao volume por volta da virada da década. “Para combinar 2030 com 30 milhões de toneladas de produção. Vamos investir relativamente alto nos próximos cinco anos no Brasil, isso combinado com mais R$ 2 bilhões de investimentos no níquel, que também faz com que a nossa carteira de investimento seja bastante significativa até 2026”.

Em relação à produção de minério de ferro em 2022, o volume se manterá entre 22 e 24 milhões de toneladas. Pela qualidade superior do produto, o que garante prêmios no pagamento, a queda da cotação do minério de ferro no mundo – hoje com a tonelada avaliada em torno de US$ 100 – não impactou de forma negativa a empresa.

“O preço do minério sempre oscila. Com a tonelada a US$ 100  e um câmbio pouco acima de R$ 5, continua sendo um preço que nos mantém competitivos no mercado. A qualidade do nosso minério de ferro, devido ao baixo teor de impureza, faz com que nós recebamos um prêmio em relação a esse preço médio, então, o nosso preço faturado é superior ao preço de mercado. Com esse preço, o projeto Minas-Rio é lucrativo”.

Descarbonização

A Anglo American também está investindo para a descarbonização. De acordo com Bruijn, entre as ações implementadas está a transformação de toda a matriz de energia elétrica em energia renovável.  “Todo o nosso suprimento de energia vem de fontes eólicas ou solar”.

Recentemente a Anglo American, em nível global, na África do Sul, desenvolveu um motor a hidrogênio para os caminhões de grande porte.

“Esse caminhão se mexeu do ponto A para o ponto B, que já é uma grande vitória. Mas novos testes precisarão acontecer para que ele possa ir mais longe e até mesmo definir a questão de como ele será reabastecido”.

O Brasil, dentre as muitas unidades da Anglo American mundial, foi eleito para ser o segundo país a receber caminhões de hidrogênio, uma vez desenvolvidos. 

“Ainda não sabemos quando será, mas isso significará que a nossa dependência, por exemplo, de combustível fóssil seria eliminada. O que é um passo além da agenda ESG”.

A companhia também possui uma vasta área de florestas, contribuindo para o maior sequestro de carbono.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail