COTAÇÃO DE 19/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4650

VENDA: R$5,4660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5000

VENDA: R$5,6270

EURO

COMPRA: R$6,2355

VENDA: R$6,2384

OURO NY

U$1.842,40

OURO BM&F (g)

R$325,08 (g)

BOVESPA

+1,26

POUPANÇA

0,6324%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque livre

Brasil quer parceria com Índia para transformar etanol em commodity

COMPARTILHE

" "
Crédito: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse acreditar em parceria entre o Brasil e a Índia para transformar o etanol em uma commodity global.

O ministro participou nesta quinta-feira (23) de seminário sobre oportunidades de negócios entre os dois países nas áreas de energia e mineração, em Nova Dhéli, na Índia.

PUBLICIDADE




“Essa cooperação envolve o desenvolvimento de tecnologias e o propósito disto vai beneficiar a todos. É o etanol, o biocombustível, se tornando uma commodity internacional”, disse.

De acordo com o ministro, a cooperação entre os dois países é estratégica, porque a Índia  possui o mercado energético que mais cresce no mundo e deve se tornar o principal importador mundial de energia nos próximos anos.

O país asiático importa 80% do petróleo que consome, e um dos seus exportadores é o Brasil. O produto é o item de maior peso no comércio bilateral dos dois países.

“O Brasil já tem essa relação com a Índia e desde o ano passado nos tornamos exportadores de petróleo, nossa produção está aumentando, vai continuar a aumentar e achamos que a importação da Índia nos próximos anos vai crescer. Até porque a Índia será o maior importador de energia do mundo”, afirmou Albuquerque.




O ministro destacou o interesse indiano em aumentar os investimentos no setor de energia no país. Atualmente, a Índia tem investimentos relacionados a transmissão de energia. Há a possibilidade de que as empresas indianas também passem a atuar no segmento de geração de energia.

Já no setor de mineração, o Brasil quer ampliar a exportação de ouro para a Índia. “Já exportamos ouro para a Índia e podemos aumentar muito mais essa cooperação. A Índia tem cerca de 95 commodities minerais e o Brasil cerca de 80. Temos muito a aprender e trocar com esse setor”, disse o ministro.

Dados do ministério mostram que o setor mineral, fechou 2019 com superávit de US$ 21,9 bilhões, somando exportações de US$ 46,5 bilhões e importações de US$ 24,6 bilhões. No total das exportações do país, o setor representou 20,8% dos US$ 224 bilhões em bens exportados pelo país.

(Agência Brasil)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!