Mais de 450 municípios de MG terão programação de Carnaval; veja destaques nas cidades históricas

Seis milhões de turistas estão sendo esperados no interior e a expectativa é que haja um acréscimo de 30% na rede hoteleira dessas cidades neste ano

25 de janeiro de 2024 às 13h07

img
Bloco Zé Pereira se apresenta na abertura oficial do Carnaval 2024 das cidades históricas | Crédito: Juliana Sodré / Diário do Comércio

“O Carnaval de Minas é na rua e nossas ruas são históricas”. Foi assim que o secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult), Leônidas de Oliveira, descreveu o Carnaval de Minas Gerais.

A fala ocorreu durante o lançamento do Carnaval de 2024 das cidades históricas do Estado, na manhã desta quinta-feira (25), no Palácio da Liberdade, em conjunto com a Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais (Achmg).

Serão mais de 450 municípios em “festa”, com programação própria e diversificada em todo o Estado, com cortejos de blocos, festas momescas, shows, além de passeios por sítios históricos, caminhadas ao ar livre e visitas a cachoeiras. 

“Minas possui 853 municípios e, no site da Secult, há informações de cerca de 200 municípios, organizados em um catálogo, que optaram por não ter Carnaval, mas que estão com seus hotéis, pousadas e restaurantes preparados para receber o carnavalesco que não gosta da folia e quer curtir as cachoeiras”, disse o secretário.

Os 32 municípios que integram a Achmg também terão a programação atualizada no site da Secult. Dentre eles, os três que abrigam Patrimônios Culturais da Humanidade reconhecidos pela Unesco: Ouro Preto, Diamantina e Congonhas, onde está o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, concebido pelos artistas Aleijadinho e Manoel da Costa Athaíde e uma das obras-primas do barroco mundial.

O presidente da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais e atual prefeito de Ouro Preto, Ângelo Osvaldo, ressaltou que cidades históricas não têm apenas Semana Santa:

“As pessoas pensam que nas cidades históricas temos só Semana Santa. Mas não, temos um Carnaval de rua, tranquilo, da família, que preserva as tradições e a cultura mineira”, disse.

Ele lembrou ainda que o Estado possui um dos blocos carnavalescos mais antigos do País: o tradicional Zé Pereira dos Lacaios, fundado em 1867 e que deu uma canja para os presentes no lançamento oficial do carnaval (veja no vídeo abaixo).

Apresentação do bloco Zé Pereira, de Ouro Preto, no Palácio da Liberdade, em BH. Crédito: Juliana Sodré / Diário do Comércio

O secretário Leônidas de Oliveira lembrou ainda que o Estado reúne opções tanto para mineiros e turistas que queiram curtir a folia nas ruas quanto para aqueles que queiram fugir das festas e curtir a tranquilidade para recarregar as energias: “Nosso Carnaval é inclusivo e tem espaço para todo mundo”.

Rede hoteleira espera incremento de 30% no interior

Para ressaltar a importância da festa para a economia das cidades do interior do Estado, Leônidas de Oliveira usou a cidade de Capitólio, no sudoeste do Estado, como exemplo.

“Capitólio e todos os 40 municípios que estão nas redondezas do lago de Furnas têm no turismo uma importante participação econômica. A cidade de Capitólio, por exemplo, possui 15 mil habitantes e espera receber 70 mil turistas no carnaval. Então, movimenta desde a compra de um artesanato às redes de hotéis. Movimentando uma rede imensa que gera emprego e renda”.

De acordo com o secretário, cerca de R$ 12 milhões foram investidos pelo Governo de Minas em todo o Estado.

Seis milhões de turistas estão sendo esperados nas cidades do interior e a expectativa é que haja um acréscimo de 30% na rede hoteleira dessas cidades neste ano. “Neste ano estamos fazendo um reequilíbrio das contas com os municípios do interior. Seja no aporte de recursos, seja na promoção do carnaval, e de forma especial nas cidades históricas”, comentou.

A festa é considerada também um importante momento para a geração de emprego, ao abrir mais de 50 mil postos de trabalho, 10 mil a mais do que o ano passado.

Programação de Carnaval nas cidades históricas mineiras

Confira os destaques de algumas cidades no interior de Minas:

  • Um dos carnavais mais tradicionais do Estado, Ouro Preto apresentará aproximadamente 50 blocos carnavalescos, como o tradicional Zé Pereira dos Lacaios, uma das agremiações carnavalesca mais antigas do Brasil, fundada em 1867. A cidade também contará com desfile de escolas de samba, shows e a festa nomeação da cidade.
  • Para quem busca uma alternativas aos cortejos, Diamantina, a 290 km de Belo Horizonte, é opção. A programação integra o Carnaval da Tranquilidade e a cidade convida o visitante a apreciar sua arquitetura preservada, além da natureza exuberante, sendo um ponto de partida da rota da Estrada Real. São destaques nas redondezas da cidade as cachoeiras da Sentinela e dos Cristais, a Vila do Biribiri e a Gruta do Salitre. Neste ano, a apresentação dos blocos está sendo resgatada e cerca de 50 também devem se apresentar.
  • Santa Bárbara, cidade conhecida pelo Santuário do Caraça, também prepara uma festa com bandas de diversos estilos, do samba ao pagode. 
  • Itabira, terra natal de Carlos Drummond de Andrade, terá como tema o clássico de Gal Costa “Balancê”, realizando um tributo à cantora. A cidade também receberá apresentações de blocos de Belo Horizonte, como o Então, Brilha e o Me beija que sou pagodeiro, entre outras atrações.
  • Em Itapecerica, no Centro Oeste mineiro, o tradicional Carnaval Itabeleza será agitado pelos tradicionais blocos da cidade: Mal Dormidos, Suvaco de Cobra, Balaco Baku e Só a Nata, que irão fazer seus desfiles e arrastar os foliões pelas ruas do centro histórico.
  • Caeté vai realizar o Carnavrau! como uma das comemorações oficiais que celebra os 310 anos do município, com shows e desfiles no centro histórico.
  • Sabará oferecerá ao folião um Carnaval descentralizado, tendo pontos em bairros e distritos, como no bairro Nações Unidas e em Ravena. A exposição “A experiência do Carnaval de Sabará”, no Solar do Padre Correia, mostrará ao visitante um pouco da história da antiga Vila de Sabarabuçu. 
  • Em Tiradentes, 24 blocos pretendem contagiar o público com cortejos pelo centro histórico.
  • São João del-Rei, além dos tradicionais blocos, também se destaca pela diversidade da natureza e cultural da região.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail