Cemig tem plano de investir R$ 6,4 bi em sua unidade de distribuição

30 de maio de 2019 às 0h04

img
CRÉDITO: Guilherme Dardanhan

São Paulo – A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) tem planos de reduzir significativamente o peso de sua dívida nos próximos anos, ao mesmo tempo em que promove um robusto programa de investimentos em sua unidade de distribuição de energia, a Cemig-D, que deverá realizar aportes de R$ 6,458 bilhões até 2023.

Em apresentação a investidores ontem, a Cemig disse que tem uma meta de reduzir a alavancagem, medida pela relação entre a dívida líquida e a geração de caixa societária, para 1,94 vez em 2020, contra 3,48 vezes em 2018, de acordo com documento arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Os valores foram divulgados durante evento da companhia com investidores em Belo Horizonte, no qual a elétrica projetou ainda investimentos de R$ 1,87 bilhão até 2023 em sua unidade de geração e transmissão de energia, Cemig GT.

Já a Cemig como um todo deverá registrar em 2019 uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 4,5 bilhões a R$ 4,9 bilhões neste ano, contra R$ 3,9 bilhões em 2018.

Em 2020, a empresa vê um Ebitda entre R$ 4,8 bilhões e R$ 5,2 bilhões e de entre R$ 5,1 bilhões e R$ 5,5 bilhões em 2021. Em 2022, a projeção é de entre R$ 5,5 bilhões e R$ 5,9 bilhões, enquanto em 2023 a companhia prevê geração de caixa entre R$ 5,78 bilhões e R$ 6,195 bilhões. (Reuters)

Tags: ,
Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail