Construção da fábrica da Desaer em Araxá começará em 90 dias

Empresa vai construir uma fábrica de aeronaves no aeroporto da cidade

4 de junho de 2022 às 0h29

img
Com sede em São José dos Campos, a Desaer produz aeronaves de pequeno porte | Crédito: Divulgação/Desaer

A Desaer anunciou na sexta-feira (3) o início da construção de sua fábrica de aeronaves em Araxá, no Alto Paranaíba, que deve começar em 90 dias. O empreendimento receberá investimentos da ordem de R$ 685 milhões e vai gerar 820 empregos diretos e indiretos. 

O anúncio foi feito em cerimônia realizada em Araxá, com representantes da Prefeitura e do governo estadual. Entre eles o governador Romeu Zema (Novo). 

O início das operações está previsto para janeiro de 2025. A Desaer, com sede em São José dos Campos, fabrica aeronaves regionais com capacidade para até 50 passageiros. A primeira que será construída em Araxá é um avião bimotor com capacidade para 19 passageiros, que pode ser convertida em transporte aeromédico, de tropas ou paraquedistas, patrulha e vigilância.

“Escolhemos Minas Gerais pela forma profissional e transparente com que o governo nos tratou do início ao fim das negociações. Escolhemos a cidade de Araxá por ter um ótimo aeroporto e uma boa estrutura acadêmica, o que é estratégico para nós”, afirmou o sócio e  CEO da Desaer, Evandro Fileno.

Além dos R$ 685 milhões iniciais que serão aplicados na construção da fábrica, Fileno adiantou que, assim que o projeto avançar, virão outros investimentos. “Começando a obra, a previsão das construtoras é de um ano a um ano e meio. A ideia é já trazer um escritório de engenharia para a cidade e começar a trabalhar enquanto se constrói a fábrica”, informou.

A expectativa do empresário é que entre o final de 2024 e início de 2025, a fábrica esteja produzindo aeronaves para atender contratos de compras já assinados pela Desaer. “Nós temos um cliente no Brasil que comprou cinco aeronaves e, no Uruguai, temos sete opções de compra já assinadas. Estamos também em negociações com a Bélgica e outros países”, completou.

Anúncio do início da implantação da fábrica de aeronaves ocorreu em cerimônia em Araxá | Divulgação / Prefeitura de Araxá

Disputa

O governador Zema lembrou que a empresa foi disputada por sete estados, mas “escolheu Minas porque encontrou aqui um estado que recebe bem os empreendedores”. Segundo ele, “é uma empresa que causa mais impacto que outras porque é de alta tecnologia e utiliza mão de obra especializada, o que acaba atraindo outros empreendimentos. Estamos falando de engenheiros especializados, com mestrado e doutorado”.

Zema salientou que a Desaer está vindo para Araxá ao mesmo tempo em que a cidade assiste à inauguração da McCain, de batatas pré-fritas, prevista para os próximos 90 ou 120 dias. É um exemplo dos empreendimentos que, segundo o governador, totalizaram R$ 236 bilhões em 3 anos e meio e criaram meio milhão de empregos com carteira assinada em Minas Gerais.   

O prefeito de Araxá, Robson Magela (Cidadania), destacou a importância da vinda da empresa para a cidade. “Este é um marco na história de Araxá, que só tem a ganhar com muitas empresas grandes que estão vindo para cá. A vinda da Desaer vai gerar muito emprego, mais impostos, vai aquecer a economia”, comemorou.

O prefeito reconheceu que a cidade tem uma arrecadação privilegiada, o que lhe permite criar boa infraestrutura, que é mais um fator de atração para as empresas. Este ano, a Prefeitura vai investir R$ 90 milhões em obras e um dos objetivos é iniciar a construção do Hospital Municipal.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, Juliano César de Oliveira, calcula que a receita municipal, atualmente girando em torno de R$ 500 milhões anuais, terá um incremento de 20% com a nova empresa.

Evitar a evasão de talentos locais é um dos principais impactos positivos da vinda da fábrica, aponta Oliveira. “A Desaer já está procurando alunos das nossas universidades, que vão acompanhar a implantação da fábrica e se qualificarão durante o processo. É um marco para o município ter um grande investidor, sobretudo, na área de inovação, que pode atrair novas empresas e manter aqui os nossos profissionais”, acrescentou.

Oliveira informou que a viabilização do terreno de 277.800 m², que é estratégico pela proximidade com o aeroporto e a possibilidade de a Desaer testar as aeronaves, ocorreu após uma negociação com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), que doou a área para a Prefeitura e esta, por sua vez, a repassou para a empresa. 

O secretário ressaltou, no entanto, que a cessão total do terreno só ocorrerá em um prazo de dez anos, quando a Desaer cumprir os requisitos acordados, que preveem, por exemplo, que em dois anos a fábrica seja construída e que a mão de obra local seja priorizada.

Execução

As obras devem ser iniciadas em cerca de 90 dias. Segundo o secretário, a empresa já entrou com o pedido dos licenciamentos ambientais a cargo do município, além daquelas específicas junto à Anac – Agência Nacional de Aviação Civil.   

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail