COP 27 no Egito perdeu a chance de demonstrar ambição, dizem críticos

Demandas de grupos ambientalistas e cientistas de que governos e empresas deixem o petróleo e o gás no subsolo tiveram menos força este ano

28 de novembro de 2022 às 13h39

img
COP 27 teve resultados mistos, deixando a desejar para críticos | Crédito: Sayed Sheasha/Reuters

Os produtores de combustíveis fósseis se beneficiaram da falta de ambição durante as negociações da COP 27 no Egito, disseram autoridades governamentais, exercendo sua influência nas discussões finais apressadas e frustrando aqueles que esperavam por um resultado mais ambicioso.

Autoridades disseram que o anfitrião Egito, um exportador de gás natural e frequentemente destinatário de fundos de produtores de petróleo do Golfo, foi parcialmente responsável, embora a guerra na Ucrânia e a subsequente crise de energia na Europa também tenham tido um impacto.

Autoridades egípcias disseram que sua prioridade era fornecer uma atmosfera propícia para as negociações e agir como um mediador neutro. A presidência negou que os produtores de combustíveis fósseis tenham recebido um tratamento simpático.

“A decisão final da COP 27 foi uma compilação de posições alcançadas por consenso de todas as partes da UNFCCC que foram todas consultadas”, afirmou em um comunicado, referindo-se aos quase 200 países que participaram da cúpula sob a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.

As demandas de grupos ambientalistas e cientistas de que governos e empresas deixem o petróleo e o gás no subsolo tiveram menos força este ano, conforme os países europeus lutam para substituir o gás russo.

Fundo para nações vulneráveis

A COP 27 produziu resultados mistos, com um acordo duramente disputado sobre um fundo para os países mais afetados pelas mudanças climáticas sendo bem-vindo por nações vulneráveis, mas um documento oficial que agrega os principais resultados da cúpula criticado por autoridades por carecer de ambição devido à influência dos produtores de combustíveis fósseis.

Os acordos da COP 27 estão alinhados com o que saiu da reunião de Glasgow no ano passado, para acelerar “esforços para a redução gradual da energia a carvão e eliminação gradual dos subsídios ineficientes aos combustíveis fósseis”, em vez de serem fortalecidos para reduzir gradualmente os combustíveis fósseis como alguns países haviam pressionado.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail