Gerdau compra 2ª plataforma da Petrobras para usar sucata na fabricação de aços especiais

Companhia reaproveitará a sucata metálica da embarcação como insumo para produção de aço na unidade de Charqueadas (RS)

1 de dezembro de 2023 às 15h53

img
Crédito: Divulgação/Gerdau

A Gerdau, maior empresa brasileira produtora de aço e maior recicladora de sucata metálica da América Latina, venceu o leilão para desmantelamento e reciclagem da plataforma P-33, unidade de produção anteriormente utilizada pela Petrobras no Campo de Marlim, na Bacia de Campos (RJ), realizado na última quarta-feira (22).

A plataforma, construída em 1978, possui aproximadamente 337m de comprimento, 54,5m de largura e peso de cerca de 45 mil toneladas. A Gerdau utilizará a sucata metálica gerada como matéria-prima para a produção de aço na unidade industrial de Charqueadas (RS), enquanto outros materiais, não metálicos, serão descartados corretamente, alcançando praticamente 100% de reciclagem da unidade, o que representa uma inovação no Brasil.

Esta é a segunda plataforma descomissionada pela Petrobras e arrematada pela Gerdau para desmantelamento sustentável no Brasil. Em julho, a companhia adquiriu a plataforma P-32, unidade do sistema de produção utilizada pela Petrobras na Bacia de Campos (RS).

“A iniciativa da Gerdau em realizar o desmantelamento da Plataforma P-33, assim como a da P-32 já em andamento, é pioneira na indústria brasileira. Ao realizar esse trabalho, retiramos um volume significativo de materiais dos mares brasileiros, além de ampliarmos nossa disponibilidade de sucata metálica, que será transformada em aço de baixa emissão carbono, infinitamente e 100% reciclável”, destaca Carlos Vieira, diretor de matéria-prima e florestas da Gerdau. “A expectativa é de que estes desmantelamentos contribuam com a geração de aproximadamente 200 empregos no Estado do Rio Grande do Sul.”

Assim como na P-32, a Gerdau contratou a Ecovix para fazer o desmantelamento verde da unidade da P-33 no Estaleiro Rio Grande, maior dique seco da América Latina, em Rio Grande (RS), onde os trabalhos de desmonte e reciclagem devem se estender por 12 meses.

“O mercado de desmantelamento de embarcações traz grandes oportunidades — e a conquista de mais este processo reforça os diferenciais do Estaleiro Rio Grande como uma liderança no setor naval no país. Estamos muito animados em avançar com esta nova parceria com a Gerdau para a P-33”, destaca Robson Passos, diretor-presidente do Grupo Ecovix.

Anualmente, a Gerdau transforma mais de 11 milhões de toneladas de sucata metálica em aço, com cerca de 71% do aço produzido pela companhia proveniente do processo de reciclagem. Uma das fontes de geração de sucata metálica é o desmantelamento de plataformas, como a P-32 e P-33, e de navios.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail