Governo oficializa redistribuição da Cfem

Nova regra deve beneficiar 1.504 municípios, de 24 estados; estima-se que 361 cidades mineiras integrem a lista

24 de agosto de 2023 às 17h53

img
Foto: Ricardo Teles

Brasília – O governo federal publicou nesta quinta-feira (24) um decreto que redistribui os recursos da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem), que são os royalties pagos para localidades onde ocorrem ou são atingidas por atividades de exploração de minerais. Em particular, a nova regra altera a distribuição para os municípios afetados, mas que não são sedes dessas atividades.

A redistribuição deve beneficiar 1.504 municípios, de 24 estados. Estima-se que 361 cidades mineiras integrem a lista.

O decreto foi publicado no Diário Oficial da União e é assinado pelo presidente em exercício, Geraldo Alckmin (PSB), que assumiu o Executivo com a viagem de Lula para a cúpula dos Brics na África do Sul.

Pelas regras em vigor, 15% da Cfem é destinado para o Distrito Federal e também municípios afetados pelas atividades de mineração, mas que não sediam em seus territórios a produção. A redistribuição, portanto, aconteceu dentro desse montante.

O governo aumentou de 50% para 55% o porcentual destinado para municípios cortados por infraestruturas utilizadas para o transporte ferroviário de substâncias minerais. Também aumentou de 30% para 35% as compensações para cidades com estruturas ligadas à mineração, como pilhas e estéreis e de rejeitos, usinas de beneficiamento, entre outros.

Por outro lado, o governo reduziu a compensação para cidades com operações portuárias ligadas à mineração, passando de 15% para 7%. Além disso, o repasse da Cfem para cidades com minerodutos também teve seu porcentual reduzido, de 5% para 3%.

Após a publicação do decreto, é necessária a regulamentação pela Agência Nacional de Mineração (ANM), que deve concluir o processo em até 90 dias.

Redistribuição da Cfem é uma luta antiga

O decreto regulamenta uma nova lei, aprovada no ano passado. Um dos principais estados beneficiados é Minas Gerais, base do ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira. Do total de 1,5 mil municípios que podem ser beneficiados, estima-se que 361 sejam mineiros.

“A redistribuição dos recursos da Cfem é uma luta antiga dos municípios afetados pela atividade mineral. Após amplo debate com as associações, prefeitos e entidades ligadas ao setor, conseguimos avançar”, afirma Silveira em nota divulgada pelo Ministério.

“Com isso, estamos fortalecendo o municipalismo ao compensar de forma mais equilibrada aqueles que mais são afetados pela mineração, garantindo, assim, recursos para aplicação em diversas áreas, como saúde, educação e segurança, melhorando a vida da população local”, completa. (Renato Machado)

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail