COTAÇÃO DE 19/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5600

VENDA: R$5,5600

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5770

VENDA: R$5,7130

EURO

COMPRA: R$6,2610

VENDA: R$6,2639

OURO NY

U$1.814,31

OURO BM&F (g)

R$322,84 (g)

BOVESPA

+0,28

POUPANÇA

0,6310%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Mater Dei adquire hospital em Goiânia por R$ 250 mi

Operação envolveu uma fatia de 95,5% do empreendimento no estado vizinho

COMPARTILHE

" "
Rede mineira vem investindo em sua expansão e vai inaugurar em breve um hospital na Bahia | Foto: Pedro Vilela
Rede mineira vem investindo em sua expansão e vai inaugurar em breve um hospital na Bahia | Foto: Pedro Vilela

A rede Mater Dei anunciou um novo passo em sua estratégia de expansão. Trata-se de investimentos da ordem de R$ 250 milhões na compra de 95,5% do Hospital Premium – Instituto de Cirurgia Plástica e Oftalmologia Ltda, localizado em Goiânia (GO). 

Conforme informado pela rede, o valor da compra, que abrange a operação integral do Hospital Premium e o imóvel será pago em seis parcelas, sendo 40% no fechamento da operação e outras quatro parcelas anuais de 10% cada e a última parcela, no 5º ano, que compreende 20% do valor restante — todas corrigidas pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). 

PUBLICIDADE




Ainda em relação aos valores da aquisição, vale ressaltar que a última parcela está sujeita à compensação pelos ganhos de performance do empreendimento adquirido (regime chamado de earnout).

Com a aquisição, a rede Mater Dei ganha espaço no Centro-Oeste brasileiro. A estratégia considerou, entre outros fatores, a localização privilegiada em uma região que cresce junto ao agronegócio. Na região metropolitana de Goiânia vivem, segundo dados divulgados pelo Hospital, mais de 2,5 milhões de habitantes, com quase 700 mil beneficiários. 

Segundo o presidente da Rede Mater Dei, Henrique Salvador, a compra do Hospital Premium obedece a uma estratégia traçada pela rede de saúde antes mesmo da Oferta Pública Inicial (IPO) e cujo objetivo é expandir a qualidade de atendimento a algumas regiões do País, como é o caso do Nordeste e do Centro-Oeste, além do próprio Sudeste, onde o Mater Dei nasceu. 

“O Mater Dei quer se posicionar como uma plataforma de atendimento à saúde focada em eficiência, técnica, humanização e acolhimento, características que sempre estiveram no DNA do Hospital. A gente quer ser uma rede de hospitais que conversam entre si e garantir que o nosso jeito de atender vai ter continuidade e levar relevância para a população”, afirma Salvador. 




O negócio ocorre após a rede mineira anunciar, entre outras, a aquisição do Hospital Santa Genoveva (Uberlândia), em novembro de 2021, e estar prestes a inaugurar o Hospital Mater Dei em Salvador, que contará com 370 leitos e um centro médico anexo. 

Ainda segundo o presidente do Mater Dei, a rede está investindo em memorandos de intenções no qual o hospital assume, de forma exclusiva, as diligências para conhecer novos ativos e definir novas aquisições. 

O Hospital Premium

Inaugurado em 2013, o Premium é um hospital moderno, que expandiu sua operação e em oito anos se tornou um hospital geral de alta complexidade, com capacidade instalada para 156 leitos. Com vocação cirúrgica, o hospital possui, atualmente, dez salas cirúrgicas e 28 vagas de UTI, com expansão mapeada para 13 salas cirúrgicas e 44 UTIs. A previsão é que todos os leitos entrem em operação nos próximos 12 meses, fruto da expansão das especialidades, seguido posteriormente de uma expansão brownfield no terreno ao lado, de 5 mil m², já adquirido à parte em janeiro de 2022.

Novo diretor

O Mater Dei  anunciou também a contratação do executivo Daniel Coudry. Ele será responsável pela área de novos negócios e inovação. Também será o diretor-geral do hospital de Goiânia.

De acordo com a companhia, Coudry tem sólida experiência com Seguros de Saúde, Vida e Previdência, tendo negociado e implantado inúmeros planos para grandes empresas, envolvendo seguradoras e resseguradoras. O novo diretor da Rede já exerceu cargos de direção no Dasa, na Associação Nacional de Hospitais Privados (ANAHP) e na AMIL, sendo que nesta última foi CEO por dois anos.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!