Crédito: Reprodução

O setor de mineração fechou o primeiro semestre deste ano com seis operações de fusões e aquisições contra nove realizadas no mesmo período do ano passado, segundo pesquisa da KPMG. A variação representa uma queda de mais de 30% no número de transações concretizadas por empresas deste setor.

Das seis operações realizadas no primeiro semestre deste ano, duas foram domésticas, envolvendo apenas empresas brasileiras. As outras foram as seguintes: uma CB1, uma CB4 e duas CB5.

“Afetado pelos dois eventos recentes, o de Brumadinho e de Mariana, o setor de mineração permanece estagnado. A agenda das empresas do segmento hoje está voltada, principalmente, para a implementação de ações de compliance que garantam o funcionamento 100% dos reservatórios”, explica o sócio da KPMG, Paulo Guilherme Coimbra.