Novas demandas dos consumidores obrigam panificação a se reinventar

30 de maio de 2019 às 0h18

img
Empresas mineiras estão investindo em vendas e entregas por meio de aplicativos, além de oferecer um mix variado - Crédito: Bernardo Rebello

A lenta recuperação da economia tem impactado no desempenho do setor de panificação. Ao longo dos primeiros cinco meses do ano, o setor se manteve estagnado, quando comparado com igual período do ano anterior. Para o restante de 2019, a expectativa é crescer cerca de 5%, o que será conquistado com as modificações e adaptações promovidas pelos empresários do setor em relação à demanda dos consumidores, como na utilização de aplicativos para vendas e entregas e disponibilização de um mix bem variado de produtos e serviços nas lojas.

De acordo com o presidente do Sindicato e Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão), Vinicius Dantas, 2019 tem sido um ano desafiador, por isso, o setor, diante da economia enfraquecida e da mudança do perfil de consumo, manteve os mesmo resultados do ano passado.

“Consideramos como um excelente resultado o empresário que conseguiu manter os mesmos padrões de vendas e os números de 2018 nos primeiros cinco meses deste ano. É um ano economicamente difícil, ainda sem nenhuma expectativa criada por ações do governo, com, por exemplo, alguma medida econômica”.

Dantas destaca que o setor vem passando por um período de transição, o que tem feito com que os empresários reinventem a panificação. A principal modificação acontece no perfil do consumidor, que busca, cada vez mais, por alimentos prontos e serviços ágeis.

“Acredito que a estagnação verificada no setor ocorre, um pouco, pelo perfil de comportamento do próprio cliente que, hoje, é muito mais tecnológico. Temos a chegada de uma revolução no processo industrial, que é a Indústria 4.0. As pessoas estão utilizando muito a tecnologia para serem atendidas, como os aplicativos, querem a execução rápida de produtos acabados em casa, o consumo de produtos em pontos onde são oferecidos com mais rapidez e que tenha serviços. As pessoas estão mudando o hábito de consumo”.

Ainda segundo Dantas, após um período onde o consumidor comprava produtos para preparar em casa, hoje, os clientes buscam mais por produtos já acabados e também por estabelecimentos que oferecem espaço para o consumo no local.

“A padaria que não estiver adequada, com área onde o cliente tenha acesso a este tipo de serviço, estará perdendo espaço no mercado. É preciso que o empresário pense nas mudanças, o que é importante para um melhor desempenho nas vendas. As padarias que já se adaptaram estão com o desempenho de vendas melhor que as demais”, explicou.

Com o perfil de consumo mudando, empresários estão se adaptando. Dantas explica que o processo é gradual e está mais avançado em empreendimentos onde ocorreu a sucessão familiar ou tem maior participação de jovens na administração.

Com a participação de pessoas mais jovens, as empresas estão mais abertas para investir nas mudanças tecnológicas. Para os empresários que ainda não investiram na atualização, a Amipão vem orientando e promovendo palestras para mostrar a importância de investir na atualização do atendimento para conquistar uma maior clientela.

“Uma mudança muito interessante é o uso de aplicativos para vendas. Após a reforma trabalhista, que permitiu a terceirização da entrega, a modalidade tem crescido bastante. Os aplicativos incentivam o consumo, já que oferecem descontos e promoções variadas. Por isso tudo, o setor tem que se remodelar. Nós, como entidade, estamos instruindo e ajudando a capacitar para esse perfil”.

Expectativa – Em relação ao desempenho no restante do ano, a expectativa é que o setor cresça cerca de 5%, o que será estimulado com mudanças adotadas pelos empresários frente aos desafios verificados nos primeiros cinco meses. Além disso, para o crescimento se concretizar, também será necessário um melhor desempenho econômico do País, o que pode ser estimulado com a aprovação da reforma da previdência.

De acordo com Dantas, a reforma previdenciária é importante para a atração de novos investimentos e para movimentar o mercado.

“A reforma da Previdência é importante porque poderá atrair grandes empresas. A aprovação pode mostrar que o País é diferenciado”.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail