Uberlândia receberá aporte de R$ 200 mi

9 de julho de 2021 às 0h30

img
Uma jazida com capacidade de mais de 24 milhões de toneladas de basalto será explorada pela Luvas Mineradora | Crédito: Divulgação

A Luvas Mineradora vai investir cerca de R$ 200 milhões em uma nova planta de remineralizadores de solos em Uberlândia. A unidade tem potencial para ser a maior produtora do insumo agrícola no País, gerando cerca de 250 novos empregos diretos e indiretos na região do Triângulo Mineiro.

O projeto integra uma série de ações da Prefeitura para difundir o pó de basalto como principal ferramenta para a recuperação de áreas percoladas e consequente expansão da fronteira agrícola no Brasil.

A mineradora será instalada em uma jazida com capacidade de mais de 24 milhões de toneladas de basalto – rocha vulcânica com abundância no solo da região. O estoque permite que o empreendimento possa produzir mais de 200 mil toneladas de um mix de produtos, como britas e areias para construção civil e obras rodoviárias, bem como o pó de basalto (remineralizador capaz de substituir adubos químicos).

“No nosso plano, a previsão é de que o empreendimento seja construído no segundo semestre deste ano. Poderá ser a maior planta de remineralizadores do País e a maior de britagem em Uberlândia”, explicou o empresário e investidor Luís Vasconcelos Borches Júnior.

Já o prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, ressaltou a importância do novo investimento na cidade, não só no sentido de gerar desenvolvimento por meio de emprego e renda, mas também por ser mais um passo para a difusão do pó de rocha. “Esse produto será o futuro do agronegócio brasileiro. O setor tem que se preparar, de maneira sustentável, para alimentar o mundo”, ressaltou.

Uberlândia incentiva uso do pó de basalto

O basalto é uma rocha silicática de origem vulcânica abundante em Uberlândia e região. A cidade possui mais de 16 mil hectares desse recurso, que apresenta altas concentrações de cálcio, magnésio e potássio, entre outros minerais.

Na sua forma em pó, tem capacidade de aumentar o rendimento de produção na ordem de 20% a 30%, com melhoria da sanidade das plantas, maior retenção de carbono no solo, maior resistência às intempéries e menor uso de fertilizantes sintéticos e defensivos, que encarecem os custos da lavoura.

Desde 2017, a Prefeitura de Uberlândia tem realizado estudos e testes, junto à empresa Campo, de Brasília, em lavouras de grãos. Recentemente, também de forma pioneira, iniciou a testagem do pó em pequenas e médias propriedades em diversas culturas, como pastagem, hortaliças e banana, dentre outros.

Em outubro de 2019, o município realizou um seminário nacional sobre esse estudo, que contou com a presença de pesquisadores e agricultores de todo o país. Os primeiros resultados da aplicação em lavouras de soja de Minas Gerais, Tocantins e Goiás foram apresentados em abril de 2020, corroborando as perspectivas de plantações mais robustas e saudáveis.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail