Puxadas pela gasolina, vendas de combustíveis crescem 5,6% em Minas

Demandas de gasolina e diesel apresentaram elevação em 2023, enquanto que o etanol hidratado teve recuo

2 de fevereiro de 2024 às 6h00

img
Safra de cana recorde e produção alta do etanol hidratado reduziram o preço do combustível | Crédito: REUTERS/Sergio Moraes

Minas Gerais encerrou 2023 com crescimento de 5,6% nas vendas de combustíveis sobre 2022. No período, os destaques foram as negociações de gasolina, que avançaram 11,9%, e também de diesel, cuja demanda ficou 5,2% maior. No caso do etanol hidratado, que chegou a registrar queda de 28,1% nas vendas, mesmo com a forte reação na demanda, a comercialização caiu 2,5%. 

Conforme os dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre janeiro e dezembro do ano passado, as distribuidoras de Minas Gerais comercializaram 16,44 milhões de metros cúbicos de combustíveis. Superando, assim, em 5,6% o volume registrado em 2022, que foi de 15,5 milhões de metros cúbicos. 

Considerando apenas dezembro, as vendas de combustíveis no Estado somaram 1,44 milhão de metros cúbicos. Assim, o volume que ficou 8% maior se comparado com dezembro de 2022. Frente a novembro, a evolução nas vendas de combustíveis foi de 3,4% em Minas Gerais.

Gasolina e diesel apresentam as maiores altas entre os combustíveis vendidos em Minas Gerais

Ao longo de 2023, a demanda por gasolina em Minas Gerais cresceu 11,9%, chegando, então, a uma venda de 4,7 milhões de metros cúbicos em 2023. No ano anterior, as negociações somavam 4,2 milhões de metros cúbicos.

Somente em dezembro, as negociações do combustível fóssil somaram 420,5 mil metros cúbicos, um incremento de 12,8% se comparado com novembro. Já no confronto com dezembro de 2022, quando as vendas somaram 456,6 mil metros cúbicos, as negociações caíram 7,9%.

Alta também foi verificada nas vendas de diesel em Minas Gerais. Em 2023, conforme a ANP, a comercialização do combustível mais usado no Estado somou 8,11 milhões de metros cúbicos. Dessa forma, o volume de 2023 superou em 5,2% o montante vendido em 2022, que era de 7,71 milhões de metros cúbicos. 

Em dezembro, a demanda pelo diesel foi de 653,08 mil metros cúbicos, resultado, assim, em uma alta de 10,57% frente a dezembro de 2022. Já na comparação com novembro, a queda ficou em 4,4%.

Aumento de imposto

A partir deste mês, os preços da gasolina e do etanol devem apresentar alta. Isso em função do início da vigência de novas alíquotas do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) aprovadas pelos governos estaduais em outubro de 2023. O ICMS da gasolina subirá R$ 0,15, para R$ 1,37 por litro.

Etanol hidratado

Com uma safra de cana-de-açúcar recorde e uma produção maior de etanol hidratado, em 2023, os preços do biocombustível ficaram mais competitivos, contribuindo, então, para uma melhor comercialização. Ainda que o volume vendido tenha caído 2,5% no ano, com um total de 1,8 milhão de metros cúbicos de etanol hidratado, a queda foi bem menor que a registrada até meados do ano, quando a retração frente ao ano anterior chegou a 28,1%.

Os preços mais competitivos do etanol frente à gasolina fizeram com que, em dezembro, fossem negociados 235,01 mil metros cúbicos de etanol, um incremento de 59,17% frente a dezembro de 2022 e de 15% se comparado com o volume de novembro.

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail